Novo livro reacende disputa racial na família real britânica

Por Michael Holden

LONDRES (Reuters) - Quase três anos depois da entrevista do príncipe Harry e de sua esposa Meghan com a apresentadora norte-americana Oprah Winfrey causar ondas de choque na monarquia britânica, a afirmação mais sensacional deles, que provocou uma disputa racial envolvendo a família real, foi ressuscitada por um novo livro.

Na dramática entrevista com Oprah em 2021, Meghan, cuja mãe é negra e o pai é branco, disse que enquanto estava grávida do filho Archie havia "preocupações e conversas sobre o quão escura sua pele poderia ser quando ele nascesse".

O casal se recusou a dizer qual membro da realeza fez os comentários, embora Winfrey tenha esclarecido mais tarde que não foi nem a falecida rainha Elizabeth nem seu marido, o príncipe Philip.

O furor levou o Palácio de Buckingham a emitir uma declaração em nome da rainha que dizia incisivamente que "as lembranças podem variar" e uma negação de que a família fosse racista por parte do agora herdeiro, o príncipe William. Harry, filho mais novo do rei Charles, disse em uma entrevista subsequente à TV em 2023 que nem ele nem Meghan acusaram ninguém de sua família de racismo.

Um novo livro sobre a realeza, escrito pelo jornalista Omid Scobie, no entanto, trouxe a questão de volta ao primeiro plano, tornando-a novamente notícia de primeira página no Reino Unido nesta semana.

Em seu livro "Endgame", Scobie diz que os nomes de duas figuras envolvidas foram identificados em cartas privadas entre Charles e Meghan após a entrevista com Winfrey, mas disse que foi impedido de nomeá-los pelas leis do Reino Unido.

Na terça-feira, entretanto, a editora holandesa Xander Uitgevers disse que havia retirado temporariamente o livro da venda no país devido a "um erro" na edição em que os dois membros da realeza foram de fato nomeados, embora o parágrafo específico não apareça na versão em inglês.

"Eu editei e escrevi a versão em inglês, nunca houve uma versão que eu produzisse que tivesse nomes", disse Scobie à emissora holandesa RTL Boulevard nesta semana.

Continua após a publicidade

Em seu programa TalkTV na quarta-feira, os membros da realeza supostamente envolvidos também foram citados pelo apresentador britânico Piers Morgan, um crítico vocal de Harry e Meghan.

Ele descreveu Scobie, que no início deste ano mencionou o ex-editor do tablóide quando ele apareceu como testemunha de Harry em um processo judicial de escuta telefônica, como um "bajulador" do casal.

Charles, que faz campanha pelo combate às mudanças climáticas e pela sustentabilidade há mais de 50 anos, não fez qualquer referência à questão quando iniciou uma visita ao Dubai, onde se reunirá com líderes mundiais e fará o discurso de abertura da cúpula COP 28 da ONU.

"Estou bem, muito obrigado, fiz um aniversário bastante avançado recentemente, ainda me recuperando do choque disso", brincou o monarca, que comemorou seu 75º aniversário no início deste mês, quando se encontrou com o presidente da Nigéria, Bola Tinubu. 

Um porta-voz de Harry e Meghan não quis tecer comentários.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora