Itaú negocia deixar salas do Espaço Itaú, com repasse a outra rede de cinema

O Itaú Unibanco negocia repassar a outra rede as salas do Espaço Itaú de Cinema, que opera nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. O conglomerado não informou o motivo da saída, e disse ainda que até aqui, nada mudou na gestão das salas ou no uso pelos frequentadores.

"O Itaú Unibanco, associado patrocinador do Instituto Unibanco de Cinema, confirma que a entidade está em negociação para transferência das salas do Espaço Itaú de Cinema para uma grande rede exibidora e comunicará qualquer novidade sobre este processo assim que houver um desfecho", informou a instituição financeira, em nota.

O Espaço Itaú de Cinema é operado em uma parceria entre o banco e o empresário do setor de cinema Adhemar Oliveira. O acordo existe desde 1993, ano em que a primeira sala foi aberta na rua Augusta, em São Paulo, com patrocínio do extinto Banco Nacional. Com a quebra do Nacional e sua absorção pelo Unibanco, o conglomerado controlado pela família Moreira Salles passou a estampar sua marca nas salas. Com a fusão com o Itaú, em 2008, surgiu o Espaço Itaú.

Os cinemas da rede são conhecidos por uma programação majoritariamente formada por filmes que ganham menos espaço nas grandes redes do setor, em um conceito conhecido como "arteplex". Após a pandemia da covid-19, porém, as salas de cidades como Curitiba foram fechadas, bem como o anexo da unidade da Augusta, encerrado no ano passado.

A reportagem tentou contato com Adhemar Oliveira, mas ainda não houve retorno.

Na nota, o Itaú disse que continua apoiando o setor audiovisual através de iniciativas como o Itaú Cultural Play, apoios via leis de incentivo e parcerias com produtores e realizadores. "Vale destacar, ainda, que o Itaú é um dos maiores investidores sociais privados do Brasil, não apenas com iniciativas apoiadas diretamente pelo banco, mas também por meio da Fundação Itaú para Educação e Cultura, da qual é mantenedor."