Empresa ligada a empresário de Alexandre Pires responde a mais de 50 ações

A Opus Assessoria e Promoções Artísticas, conhecida pelo nome fantasia Opus Entretenimento, responde a pelo menos 50 processos na Justiça em pelo menos seis estados brasileiros.

Empresa ligada a Alexandre Pires e empresário

Agência gerencia a carreira de Alexandre Pires, detido na terça (5) após desembarcar de cruzeiro temático e liberado. O cantor é investigado na Operação Disco de Ouro da PF, que apura a existência de esquema de lavagem de dinheiro de garimpo ilegal em terras indígenas Seu advogado nega ligação com crime e diz que inocência será provada nas investigações. A empresa também é responsável pelo gerenciamento da carreira de outros artistas: Daniel, Maurício Manieri, Seu Jorge, Munhoz & Mariano, Luccas Neto, Hello Adele Tribute, Sinatra 1915 Tribute, Ana Carolina e KLB.

Também investigado, o empresário do cantor aparecia como executivo da Opus, mas agência tirou seu nome do site nesta terça (5). Endereços ligados a Alexandre Pires e ao agente foram alvo de buscas na segunda-feira (4). Matheus Possebon está preso preventivamente desde terça (5) e sua defesa diz que ato é uma violência.

Splash identificou 75 processos contra a empresa, mas 15 deles arquivados. O levantamento foi feito nos sites oficiais dos Tribunais de Justiça de São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul.

Ao menos 14 registros são de ações trabalhistas. Os processos trabalhistas estão em seis estados diferentes e e englobam indenizações por danos morais, prestações de serviços, execuções fiscais e rescisões de contratos.

24 processos foram registrados no Rio Grande do Sul. A empresa mantém um escritório no bairro Três Figueiras, em Porto Alegre, segundo informações divulgadas em seu site oficial.

Opus enviou posicionamento a Splash na noite desta quarta-feira (6). Confira posicionamento na íntegra:

A Opus Entretenimento, com 47 anos de atuação no mercado de eventos, esclarece que não é citada na Operação Disco de Ouro, desconhece quaisquer atividades irregulares realizadas por pessoas ligadas à empresa e confia nas autoridades competentes para a apuração correta dos fatos.

O empresário Matheus Possebon atuava como prestador de serviços na realização de shows, turnês e agenciamento de carreiras, sem participação na sociedade da empresa. E, até os devidos esclarecimentos, ele está afastado das atividades da companhia.

Continua após a publicidade

Com a realização de mais de 3 mil espetáculos por ano e um total de público estimado em 6 milhões de pessoas, a Opus mantém o compromisso de promover a cultura e o entretenimento em todo o país.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes