Conteúdo publicado há 2 meses

Jovem Pan pede desculpa após convidada dizer que Dino é 'cota de obesidade'

Fernando Capez, 59, do "Linha de Frente", fez um pedido de desculpa em nome da Jovem Pan ao ministro da Justiça, Flávio Dino, após uma convidada dizer que sua indicação ao STF pertencia a "cota de obesidade".

O que aconteceu?

Na abertura do Linha de Frente de hoje, o apresentador disse que a emissora não compactua com "nenhuma forma de preconceito e desrespeito" após o comentário gordofóbico da jornalista Paula Schmitt sobre Flávio Dino viralizar na internet.

"Ontem, aqui no "Linha de Frente", uma convidada que tinha vindo pela primeira vez participar do programa, fez um comentário inadequado, chegou a ser, inclusive, preconceituoso. Acima de tudo, inadequado, desnecessário e que em nada contribui para o debate sobre a pessoa do Ministro Flávio Dino", iniciou ele.

Por isso, eu quero aqui, em meu nome e em nome do Grupo Jovem Pan, me desculpar com Flávio Dino. Esse posicionamento, eu e o Grupo Jovem Pan, avaliamos como desnecessário e infeliz da nossa convidada. Fernando Capez

O apresentador, inclusive, ressaltou que confia que Flávio Dino irá fazer um grande trabalho no STF sem favorecer "ideologias ou paixões". "Tenho certeza que vossa excelência ao assumir o alto posto da corte mais importante do país saberá, sim, separar as coisas, fazer valer o seu papel de grande jurista e olhar para todos os lados com a balança da Justiça, sem pender para um lado ou outro. Sem deixar se levar por ideologia ou qualquer outra paixão", declarou.

Em contato com Splash, a Jovem Pan informou que emitiu posicionamento contra o episódio horas após o programa. Eles afirmaram "respeitar o posicionamento dos convidados, mas não compactuam com preconceito".

"Nós temos um recado muito importante para você que acompanha a Jovem Pan em todas as plataformas. Hoje, no programa Linha de Frente, uma convidada fez um comentário preconceituoso sobre o ministro Flávio Dino. Todos que são convidados pela Jovem Pan tem liberdade para expressar seus pensamentos e ideias. Mas o Grupo Jovem Pan não compactua com nenhuma forma de preconceito. Por isso, nos desculpamos com o ministro Flávio Dino pelo pensamento, que avaliamos como equivocado e infeliz, da nossa convidada", diz a nota da Jovem Pan.

Leia o comunicado da Jovem Pan:

Ontem, aqui no programa Linha de Frente, uma convidada que tinha vindo pela primeira vez participar do programa, fez um comentário inadequado, chegou a ser, inclusive, preconceituoso. Acima de tudo, inadequado, desnecessário e que em nada contribuí para o debate sobre a pessoa do Ministro Flávio Dino.

Continua após a publicidade

Não lhe imputou nenhum crime, não fez nenhum tipo de agressão maior, mas fez um comentário que eu não gostei, foi desrespeitado. Foi na mesma hora que chamei a palavra e fiz uma correção, mas entendo que é importante reiteramos e deixarmos isso muito claro como pretendemos conduzir os debates aqui.

Todos que são convidados pela Jovem Pan têm absoluta liberdade para expressar a sua opinião, os seus pensamentos e suas ideias. Não há problema nenhum em concordar comigo, eu tenho posições claras, mas recebemos aqui colegas que tem uma posição mais à esquerda, uma visão mais socialista e não há problema algum. Eu adoro debater. Sempre subi a tribuna do parlamento e debatia tema, nunca com muitas pessoas.

Quero dizer em meu nome e demais participantes deste programa Linha de frente, mas principalmente em nome do Grupo Jovem Pan, dentro do qual o Linha de Frente se desenvolve, que o grupo o Jovem Pan, que esse programa aqui, não compactua com nenhuma forma de preconceito e forma de desrespeito. Por isso, eu quero aqui, em meu nome e em nome do Grupo Jovem Pan, me desculpar com Flávio Dino. Esse posicionamento eu e o Grupo Jovem Pan avaliamos como desnecessário e infeliz da nossa convidada.

Ministro Flávio Dino, receba aqui, pelo menos em meu nome, palavras de confiança. Receba em nome do Grupo Jovem Pan, o respeito a sua pessoa. Desejo que faça uma brilhante carreira no Supremo Tribunal Federal. Eu tenho certeza que vossa excelência ao assumir o alto posto da corte mais importante do país saberá, sim, separar as coisas, fazer valer o seu papel de grande jurista e olhar para todos os lados com a balança da Justiça.

Entenda o caso

Na edição desta quarta-feira (29) do Linha de Frente, a jornalista Paula Schmitt aproveitou debate sobre a indicação de Flávio Dino ao STF e o criticou por não ter entregado as imagens dos ataques do 8 de janeiro às autoridade.

Continua após a publicidade

Na sequência do comentário, Schmitt declarou "não ter grandes esperanças sobre o jurista no STF" e fez o comentário gordofóbico sobre o jurista pertencer a "cota de obesidade".

"Eu até admiro o fato de ele ter sido colocado por uma cota. Não foi isso? É... Obesidade. Não sei se é obesidade. Eu ouvi dizer que tem que ter representatividade. Teve uma jornalista da CNN que falou sobre isso. Acho que ela entrou em uma cota também. Então eu sei que ela queria que ele fosse coleguinha de cota. Aí falaram que ele era pardo, né? As ideias assim que saem da cabeça de uns jornalistas é uma coisa fascinante até", afirmou Paula.

A declaração de Scmitt é baseada na fala da jornalista Basília Rodrigues, em programa da CNN Brasil, que informou que o ministro se identifica como pardo. A indicação, de acordo com Basília, seria de uma pessoa não branca, "ampliando, querendo ou não, a diversidade, pelo menos no posto de vista de cor e não de gênero, do STF".

Diante da repercussão do comentário, Paula compartilhou um vídeo com a fala de Basília nas redes sociais. "Aqui o trecho em que a jornalista da CNN, possivelmente contratada através da cota, diz que Dino ajudou a diversidade "em parte" por se identificar como pardo".

A CNN Brasil entrou em contato com Splash para repudiar a declaração "discriminatória" de Paula sobre Basília Rodrigues estar no canal por "cota".

Continua após a publicidade

"A CNN Brasil repudia veementemente qualquer tipo de discriminação. A jornalista Basília Rodrigues é hoje uma das profissionais mais competentes do Brasil, mérito reconhecido por meio de premiações como o Troféu Na Telinha 2023, que fez dela a Melhor Analista do ano por meio de voto popular. Em recente eleição promovida pelo Portal dos Jornalistas/Jornalistas&Cia., Basília também figura na lista de Jornalistas Negros e Negras Mais Admirados do país, sendo ainda finalista ao Prêmio Engenho de Comunicação, tradicional premiação de Brasília aos melhores profissionais do segmento. As conquistas são fruto única e exclusivamente da credibilidade alcançada por Basília junto à nossa prestigiosa audiência, capital do qual a CNN Brasil muito se orgulha. Qualquer insinuação ou declaração de caráter discriminatório é inadmissível e inegociável", diz o comunicado.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes