Henri Castelli: como foi agressão que deixou ator com sequelas permanentes?

O Tribunal de Justiça de São Paulo rejeitou o pedido de sigilo feito pelo ator Henri Castelli, 45, no processo em que ele cobra uma indenização por uma agressão sofrida em dezembro de 2020.

De acordo com o colunista do UOL Rogério Gentile, o artista argumenta que o direito à intimidade estava sendo "ferido com a divulgação de notícias" sobre a ação.

A juíza responsável pelo caso entendeu que a situação não se enquadra nos critérios de segredo de justiça. "Trata-se de fatos narrados sem exposição da intimidade do autor [do processo]", justificou.

Relembre o caso:

A agressão aconteceu na Barra de São Miguel (Alagoas) em 30 de dezembro de 2020. A princípio, ele disse ter sofrido um acidente na academia, e depois explicou que não queria assustar seus familiares: "Optamos por falar sobre o acidente na academia para não assustar a minha família. Ligar para a minha mãe para contar sobre a agressão não era a melhor coisa a fazer", disse o ator nos stories.

Henri só falou da agressão duas semanas depois, após passar por uma cirurgia e sair do hospital: "Eu fui agredido covardemente, sem chance de me defender. Eu estava com alguns amigos e, do nada, fui puxado pelas costas, jogado no chão e fui agredido, vítima de socos e chutes no rosto".

Ele também divulgou imagens dos ferimentos. Henri teve uma fratura exposta na mandíbula e outras lesões causadas por chutes e socos. A princípio, os cirurgiões da Santa Casa de Alagoes contiveram a mandíbula com fios de aço, e depois o ator passou por uma segunda cirurgia em São Paulo para implantar pinos e parafusos.

A minha sensação é de que a minha boca estava pendurada naquele momento. Dei entrada no hospital e eles optaram por amarrar a minha boca com um fio de aço para que eu pudesse cumprir a minha agenda profissional. Henri Castelli

Continua após a publicidade
Imagem
Imagem: Reprodução/Instagram
Imagem
Imagem: Reprodução/Instagram

Dois homens foram indiciados pela agressão. Os empresários Bernardo Malta e Guilherme Accioly respondem por lesão corporal grave. Em entrevista ao UOL, o advogado dos dois afirmou que foi o ator quem começou a briga:

O Henri Castelli foi para cima do Guilherme e foi gerada uma situação desnecessária. Quando o Henri Castelli deu um soco no Bernardo pegou no Guilherme e ele teve um derrame no olho. Temos testemunhas, esposas e marinheiros que viram a cena. Lucas Dória, advogado de Bernardo Malta e Guilherme Accioly

Henri Castelli também processou por danos morais. Ele pede uma indenização de R$ 412 mil. Foi nesse processo que a juíza pediu uma perícia para determinar se a agressão deixou sequelas permanentes. Segundo o perito Basílio de Almeida Milani, a perda de sensibilidade no rosto "deverá ser permanente e não há tratamento, na atualidade, que possa ser indicado que tenha um prognóstico certamente favorável".

O laudo pericial da agressão atestou que o ator teve sequelas permanentes no rosto. Após fraturar a mandíbula, ele teve perda de sensibilidade no lado direito da face.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes