Conteúdo publicado há 4 meses

Amaury Lorenzo, de 'Terra e Paixão': 'Me considero um homem LGBTQIA+'

Amaury Lorenzo, ator que faz o Ramiro de "Terra e Paixão", o par romântico de Kelvin (Diego Martins), em entrevista ao jornal Extra:

Integrante da comunidade LGTBQIA+: "Eu me considero um homem LGBTQIA+. Pode ser que daqui a pouco eu me case com outro homem, cis ou trans, com uma mulher, cis ou trans... Eu sei que o público tem curiosidade de saber sobre a minha sexualidade. Não tenho problema com relação a isso. A única questão é quando o assunto fica acima do meu trabalho como ator."

Representatividade: "Sou professor de teatro e tive três alunos assassinados por serem LGBTQIA+. Um foi morto pelo pai. Acolhi um amigo em casa que foi espancado por estar ficando com outro homem na rua. Já recebi ex-alunos expulsos por pais evangélicos, por serem gays. Como eu posso não estar nessa luta? Vamos participar de uma Parada LGBTQIA+ no dia 29 (em Madureira). Me convidaram pra ser o rei, mas posso trocar com o Diego e ser a rainha."

Assédio dos fãs: "Muitos nudes! Esses dias, correndo na praia, tive que parar toda hora pra foto. Perguntaram se podiam apertar a minha bunda. Deixei, sem problema"

Problemas nos bastidores quase o fizeram desistir: "Ah, no início da novela eu tive um problema nos bastidores, pensei até em desistir. Quase me convenceram de que eu não era bom o suficiente. Depois, viramos esse sucesso. Eu sou muito dedicado, perfeccionista, como todo bom sagitariano. Recentemente, disseram que eu tinha deslumbrado e queria abandonar o Ramiro pra fazer 'Irmãos Coragem', vê sô! Chorei tanto... Nos stories, alguém me perguntou se eu estava feliz com o personagem, e eu disse: 'Ramiro está comigo pra onde quer que eu vá'. Não desisti dele porque ele não desistiu de mim. É mágico, espiritual. Aí, o pessoal subiu essa hashtag me acarinhando. Eu me emocionei, me arrepio até agora."

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes