Conteúdo publicado há 8 meses

Jovem que matou a mãe por falsa doença e inspirou true crime será solta

A norte-americana Gypsy Rose Blanchard, que foi condenada a 10 anos de prisão em 2016 por matar a própria mãe, Dee Dee Blanchard, vai deixar a cadeia antes da conclusão da pena sofrida.

O que aconteceu:

A pena de Gypsy progrediu para liberdade condicional e ela deixará a prisão em 28 de dezembro de 2023, quando completará 85% da sentença cumprida, em vez de sair da cadeia apenas em 2026. As informações são da revista People.

Gypsy foi condenada após admitir à Justiça que encomendou o assassinato de sua mãe ao namorado, Nicholas Godejohn — o executor do crime foi condenado à prisão perpétua por matar Dee Dee com 17 facadas.

A filha disse à Justiça dos Estados Unidos que matou a mãe por vingança pelos anos de abuso em que Dee Dee inventou que ela era portadora de várias doenças crônicas que a obrigavam a usar cadeira de rodas.

Dee Dee inventou que Gypsy teria uma doença terminal e sofria de distrofia muscular, leucemia, asma severa, epilepsia, apneia do sono, entre outras doenças.

O distúrbio que fez com que Dee Dee forjasse doença para a própria filha se chama síndrome de Munchausen, uma condição rara em que o genitor induz uma doença a uma criança para ganhar atenção e simpatia em troca pelos cuidados prestados.

A história de Dee Dee e Gypsy teve repercussão na imprensa internacional e inspirou a série de true crime "The Act", que fez sucesso quando foi lançada em 2019.

Outras produções fictícias também se inspiraram na história de mãe e filha, a exemplo do filme "Fuja" (2020), estrelado por Sarah paulson e Kiera Allen.

Deixe seu comentário

Só para assinantes