PUBLICIDADE
Topo

'Graças a Deus que hoje é sexta': A trajetória de Chico Pinheiro na Globo

Chico Pinheiro deixou a Rede Globo após 32 anos na emissora - Reprodução/Globo
Chico Pinheiro deixou a Rede Globo após 32 anos na emissora Imagem: Reprodução/Globo

De Splash, em São Paulo

30/04/2022 04h00

A cobertura do Carnaval 2022 foi o último trabalho de Chico Pinheiro na Globo. A emissora anunciou na sexta-feira, que o jornalista deixou seu quadro de funcionários em comum acordo com a emissora.

Nos 32 anos que passou na emissora, o repórter jogou futebol de botão com Pelé, tirou a camisa ao vivo no "Mais Você" e encerrou o Jornal Nacional com o característico bordão "graças a Deus que hoje é sexta-feira, é vida que segue". Acompanhe alguns dos momentos mais marcantes de sua trajetória.

Chico Pinheiro entrou no Globo em 1977, no cargo de chefe de reportagem. Em 1980, saiu da emissora para estudar na Universidade de Navarra, na Espanha. Ele ficou fora do canal até 1996, e nesse período passou pela TV Bandeirantes e pela Record.

Chico deixou os cargos de diretor de jornalismo da Record e âncora do Jornal da Record em outubro de 1995. A demissão aconteceu após uma discordância com a direção da emissora do bispo Edir Macedo sobre o caso de um pastor da Igreja Universal do Reino de Deus que chutou uma imagem de Nossa Senhora de Aparecida durante um programa religioso na madrugada do canal.

O retorno para TV Globo

Ele foi para a rádio CBN e, em 1996, voltou para a TV Globo como apresentador do "Bom Dia São Paulo" e editor do "Bom Dia Brasil". Em março de 2000, fez uma entrevista exclusiva com Nicéia Pitta, ex-mulher do então prefeito de São Paulo Celso Pitta, em que ela detalhou o esquema de corrupção na capital paulista.

O jornalista passou 11 anos na bancada do SPTV 1ª edição e era o apresentador do "Espaço Aberto" na GloboNews quando o programa se transformou no "Sarau". Em 2011, assumiu o Bom Dia Brasil, onde permaneceu até sua saída da emissora. Chico também deixou sua marca na cobertura do Carnaval na Globo: participou da equipe desde 2003 até este ano.

car - Reprodução/TV Globo - Reprodução/TV Globo
Chico Pinheiro durante Bom Dia Brasil
Imagem: Reprodução/TV Globo

Na Globo, ele entrevistou nomes como Dona Ivone Lara, Zeca Pagodinho, Paulinho da Viola, Beth Carvalho, Nathalia Timberg e Pelé — nesta última, aproveitou para jogar futebol de botão com o rei. Em 2011, quando as forças policiais do Rio de Janeiro fizeram uma operação na favela da Rocinha, ele deixou a bancada do "Bom Dia Brasil" e apresentou o programa diretamente da comunidade.

"Coragem"

Chico dizia dois bordões no "Bom Dia Brasil": ao início de cada semana, "Coragem!", e ao final, "Graças a Deus, hoje é sexta-feira". Em 2017, encerrou o "Jornal Nacional" com a frase de encerramento da semana e surpreendeu os telespectadores acostumados ao "Boa noite" de William Bonner.

A descontração é uma das marcas de Chico Pinheiro na Globo: em dezembro do ano passado, comemorou o título do Campeonato Brasileiro do Atlético-MG fazendo um strip-tease no "Mais Você" para revelar que estava usando a camisa do time do coração embaixo da camisa social.