PUBLICIDADE
Topo

Fome, violência e a morte dos filhos: as tragédias da vida de Elza Soares

De Splash

20/01/2022 19h45Atualizada em 21/01/2022 13h13

Elza Soares morreu hoje, em sua casa, no Rio de Janeiro, aos 91 anos. A artista, considerada "a voz do milênio", teve a vida marcada também por vários dramas pessoais, dificuldades e tragédias.

Obrigada pelo pai, ela casou com apenas 12 anos de idade, enfrentou violência doméstica e a morte de quatro filhos.

Casada aos 12

Elza Soares teve a infância interrompida após o próprio pai a obrigar a se casar, quando ela tinha apenas 12 anos. Foi do primeiro marido, Lourdes Antônio Soares, que a cantora herdou o sobrenome que levou até o fim da vida.

Pouco tempo depois do casamento, aos 13, Elza engravidou do primeiro filho — ela teve oito, ao todo. A união durou menos de uma década e, aos 21, a artista já era viúva.

"Eu soltava pipa, jogava bola de gude, com filho no colo. Pegava balão, corria muito, brincava com eles. Foi assim que foi a minha vida. Era criança e mãe", disse a cantora à BBC em 2018.

Perda de filhos

Elza, ainda adolescente, perdeu os dois primeiros filhos devido à fome. Em 1986, a artista perdeu Garrinchinha, seu único filho com Garrincha, que tinha apenas 9 anos. O menino foi vítima em um acidente de carro.

A tragédia fez com que a cantora entrasse em depressão e tentasse suicídio. Ela decidiu sair do país e só retornou após quatro anos.

Em 2015, Elza perdeu Gilson, aos 59 anos. O filho da cantora teve complicações após uma infecção urinária.

Eu acredito em Deus, nos meus guias de luz. A resposta para vida está aqui entre nós. Nunca me revoltei por tudo que já me aconteceu. Não sou a única a perder filho. É claro que dói demais. Mas todos nós temos uma missão. Elza Soares ao jornal Extra

Sequestro da filha

Elza teve a filha Dilma recém-nascida sequestrada pelo casal que cuidava dela em 1950. Mesmo sem nunca deixar de procurar a filha, só a reencontrou quando ela já era uma mulher adulta.

Morre Elza Soares; veja fotos da carreira da cantora

Violência doméstica

Entre 1962 e 1982, Elza Soares viveu seu relacionamento mais famoso, com Mané Garrincha. Os dois se conheceram alguns meses antes da Copa do Mundo de 1962, durante um treino do Botafogo, time no qual o jogador atuava à época. No entanto, ele era casado, e Elza namorava o músico Milton Banana.

Depois de alguns meses vivendo o romance escondido, Garrincha se separou da então esposa e, em 1966, Crioula e Neném — apelido do casal — se casaram. Fãs e a própria imprensa perseguiam o casal e diziam que Elza era culpada pelo fim do relacionamento anterior dele.

Os dois ficaram juntos por mais de 15 anos. O ex-jogador, no entanto, tornou-se alcoólatra e passou a ser violento com Elza. Em uma das ocasiões, a cantora teria tido os dentes quebrados pelo marido, mas sofreu em silêncio. Garrincha morreu em 1983, um ano após a separação de Elza, vítima de cirrose hepática.

Apesar disso, em entrevista à BBC em 2018, Elza disse que preferia esquecer os "momentos de ódio" e focar nos "momentos de amor" com Garrincha.

Eu penso nos momentos de amor. Procuro esquecer os momentos de ódio, porque a coisa pior do mundo é o ódio, né? Então penso no momento de amor, que foi lindo. Elza Soares à BBC

A morte da cantora de 91 anos aconteceu 39 anos depois do ex-marido, que também morreu no dia 20 de janeiro.

Morte da mãe

Em 1969, Rosária Maria da Conceição, mãe de Elza, morreu em um acidente na rodovia Presidente Dutra, que liga as cidades do Rio de Janeiro e São Paulo

Na ocasião, Garrincha dirigia bêbado quando o veículo bateu na traseira de um caminhão, arremessando Rosária para fora do carro.