PUBLICIDADE
Topo

Brown e artistas celebram a música negra em Salvador: 'O gueto é grande'

Carlinhos Brown se apresenta no "Encontros Tropicais: Frequências do Gueto" na Concha Acústica do Teatro Castro Alves, em Salvador - Divulgação
Carlinhos Brown se apresenta no "Encontros Tropicais: Frequências do Gueto" na Concha Acústica do Teatro Castro Alves, em Salvador Imagem: Divulgação

Felipe Pinheiro

De Splash, em São Paulo

27/11/2021 00h26

Em comemoração ao mês da consciência negra, artistas se reuniram hoje para o show "Encontros Tropicais: Frequências do Gueto" na Concha Acústica do Teatro Castro Alves, em Salvador. Carlinhos Brown, Criolo, Larissa Luz, WD, Jéssica Ellen, Rafa Dias, entre outros, celebraram a música negra originária da periferia.

O técnico do "The Voice Brasil" falou sobre a resistência do gueto em relação a se "reapropriar do que somos".

Sentimos essa vitória. Que o gueto é grande e essa grandeza oriunda de várias etnias. Todos da Bahia sabe o quanto sou gueto e o quanto nós somos gueto. Essa união se fortalece com a visão de que as cadeias comerciais do Brasil possam fazer um levante, não só nos utilizando como consumidores, mas participantes de um movimento econômico.

O show foi composto por diferentes estilos, divididos por blocos, como a black music dos anos 1970 e 1980 e o samba, que nasceu marginalizado. Jessica Ellen comentou a emoção de estar no palco com artistas que admira e lembrou as vítimas da pandemia.

"Estou bem nervosa, não vou mentir. Primeira vez cantando em Salvador. Estou sendo muito acolhida. Quero agradecer a Larissa por toda generosidade. É uma experiência linda trocar essa energia. A arte é muito generosa. Todos nós que estamos aqui somos sobreviventes, tivemos a chance de ser vacinados, perdemos muita gente e estamos vivendo o luto", afirmou a cantora.

Criolo: "Temos que nos abraçar"

Criolo se apresenta no "Encontros Tropicais: Frequências do Gueto" - Divulgação - Divulgação
Criolo se apresenta no "Encontros Tropicais: Frequências do Gueto"
Imagem: Divulgação

Um dos convidados da noite, Criolo se emocionou ao falar sobre a morte da irmã em coletiva de imprensa realizada antes do show. O cantor definiu a apresentação como uma "manifestação de fé", de forma a chegar a todos.

Estamos transbordando de amor, de emoção, carinho. Temos que nos amar muito. Nesse ano a minha irmã se foi. Que a gente possa entender que cada vez mais temos que nos abraçar. Se a gente desistir do coração de uma pessoa desistimos de nós mesmos.

Larissa Luz no "Encontros Tropicais: Frequências do Gueto", em Salvador - Divulgação - Divulgação
Larissa Luz no "Encontros Tropicais: Frequências do Gueto", em Salvador
Imagem: Divulgação