PUBLICIDADE
Topo

Ator Pedrinho Moura, ex-'Pânico', é acusado de assédio por estudante

Pedrinho Moura fez parte do elenco do Pânico na Band - Arquivo Pessoal
Pedrinho Moura fez parte do elenco do Pânico na Band Imagem: Arquivo Pessoal

Abinoan Santiago

Colaboração para o UOL, em Florianópolis

14/04/2021 14h56

O ator e DJ Pedrinho Moura, ex-integrante do programa "Pânico na Band", responde a um boletim de ocorrência por suposto assédio sexual praticado virtualmente contra uma acadêmica de Direito de 18 anos.

Ela é moradora de Nova Mutum, a 239 quilômetros de Cuiabá, e procurou a Polícia Civil para denunciar o artista.

O caso ocorreu por volta das 21h da última quinta-feira (8), através de uma conversa entre ambos no Instagram, segundo consta no registro de ocorrência acessado pelo UOL.

A vítima e o suspeito estavam conversando quando, em determinado momento, o ator enviou um vídeo "mostrando as suas partes íntimas".

A jovem informou na ocorrência que "teria conhecido o suspeito no mesmo dia e que se sentiu constrangida com a postagem do vídeo". O caso chegou à Polícia Civil no dia 9 de abril, sendo apurado pela Delegacia de Nova Mutum.

O UOL apurou que o boletim de ocorrências ainda não gerou inquérito, pois a jovem precisa representar uma queixa-crime contra o ator para que se inicie a apuração sobre o suposto delito.

A reportagem entrou em contato com a suposta vítima, que não quis se identificar e confirmou o teor da denúncia. Ela informou, contudo, que aguarda aval da família e da advogada para conversar sobre o caso.

Ator se pronuncia

Pedrinho Moura disse, por meio de sua assessoria de imprensa, que soube da acusação somente ontem através de publicações em sites e redes sociais.

"Até o momento, nos estamos tentando averiguar mais informações sobre a acusação da vítima, já que nem mesmo nós temos maiores informações a respeito do caso, como por exemplo, o número do boletim de ocorrências e as outras acusações que a estudante fez contra o Pedro. Por esse motivo, no momento, ele não está fornecendo nenhuma entrevista, até mesmo para podermos entender melhor o que aconteceu, e o fundamento das acusações", diz o comunicado enviado ao UOL pela assessoria de imprensa.