PUBLICIDADE
Topo

MC passa por assédio em trem e faz letra de música como repúdio

MC Lynne em "Assédio no Trem" - Reprodução/YouTube
MC Lynne em "Assédio no Trem" Imagem: Reprodução/YouTube

De Splash, em São Paulo

29/03/2021 09h30Atualizada em 29/03/2021 09h30

A cantora MC Lynne transformou em música um caso de assédio em que viveu em um vagão de trem em dezembro do ano passado. A funkeira, que faz parte da gravadora Kondzilla, também processou o homem que a tocou.

Lynne contou que estava indo gravar no estúdio e notou o homem subindo a mão na sua perna.

"Eu estava sentada, cantarolando no trem e percebi um homem subindo a mão na minha perna em direção as minhas partes íntimas. A gente sempre escuta relatos sobre isso, mas não pensa que vai acontecer com a gente", disse ela ao jornal O Dia.

Na época, ela contou nas redes sociais e repudiou o ato.

"Criei coragem levantei e gritei 'Por que você está fazendo isso?', eu queria entender o porque daquilo, pra mim não fazia o menor sentido, eu estava tão feliz, tão disposta a dar o meu melhor mais um dia. Corri e chorei muito. Muitas pessoas me ajudaram, me acolheram", contou.

Segundo ela, no dia da primeira audiência do processo contra o agressor, ela lançou o clipe de "Assédio no Vagão".

A letra fala do medo de ser importunada no transporte público e levanta um posicionamento da sociedade contra essas situações.

O videoclipe conta com a participação de Pécora e começa com um áudio enviado pela Lynne após o episódio de assédio.

De acordo com o advogado José Estevam Macedo Lima, o homem recebeu uma transação penal por ser réu primário — quando o Ministério Público oferece uma pena imediata, como multa, sem a necessidade de aplicar um processo.

"Ir em frente e processar me faz acreditar que outras mulheres serão encorajadas também. Os homens precisam entender que assédio tem punição. Se eu estiver ajudando pelo menos uma mulher, sei que minha missão já vai estar cumprida", disse ela ao portal Kondzilla.