PUBLICIDADE
Topo

Lázaro Ramos e Paolla Oliveira contam como é fazer um filme na pandemia

Renata Nogueira

De Splash, em São Paulo

18/02/2021 04h00

Máscaras, distanciamento, testes de covid e muitos litros de álcool gel. O novo normal também chegou aos bastidores do cinema e Splash mostra com exclusividade algumas curiosidades da gravação do filme "Papai É Pop", com Lázaro Ramos e Paolla Oliveira, que começou em 11 de janeiro e terminou ontem.

Continua depois da publicidade
@paollaoliveirareal

Bastidor de gravação do filme Papai é Pop com @olazaroramosmesmo #papaiepop #galeriadistribuidora @galeriadistribuidora

? Dynamite - BTS

O filme deve chegar aos cinemas no segundo semestre. Mas, enquanto a gente espera para ver Paolla Oliveira de barrigão de grávida (eles já deram um spoiler) e Lázaro Ramos como um papai novato aprendendo a cuidar de uma bebê, conversamos com eles sobre outro desafio: filmar no "novo normal".

Acho difícil e muito esquisito filmar na pandemia. Não dá para esconder isso.
Lázaro Ramos
Divulgação/Prodigo Films/Galeria Distribuidora - Divulgação/Prodigo Films/Galeria Distribuidora
Imagem: Divulgação/Prodigo Films/Galeria Distribuidora

Vale ressaltar: por segurança, a reportagem de Splash não foi ao set. Para captar as imagens e conversar com os atores, contamos com a ajuda da equipe reduzida que esteve no local. No total, eram 150 pessoas contando elenco, produção, motoristas, e até mesmo aqueles que trabalharam remotamente.

Continua depois da publicidade
Filmar nesses tempos demanda mais dinheiro, mais cuidado, uma responsabilidade muito maior. Que a arte vença!
Paolla Oliveira

A equipe de "Papai é Pop" contou ainda com consultoria nas áreas de saúde e segurança do trabalho, além de um médico acompanhando as filmagens, à disposição para atendimento, e da presença diária de um técnico de enfermagem e de um bombeiro no set.

Filmando na pandemia:

  • Máscaras: 160 por dia
  • Faceshields: 30 por dia
  • Álcool em gel: 40 litros (200 potes)
  • Testes de covid-19 realizados: 1500

Os atores, que só podiam ficar sem máscara durante as gravações das cenas, eram testados duas vezes na semana. Quem estava atrás das câmeras foi testado semanalmente. Além disso, as atividades fora do set iam muito além de decorar texto. Todos tinham que passar por teleconsultas médicas periódicas.

Divulgação/Prodigo Films/Galeria Distribuidora - Divulgação/Prodigo Films/Galeria Distribuidora
Paolla Oliveira e Lázaro Ramos comem nos bastidores de 'Papai É Pop'
Imagem: Divulgação/Prodigo Films/Galeria Distribuidora
Continua depois da publicidade

Nada de resenha na hora do almoço ou cafezinho. Para comer, cada um no seu quadrado. Literalmente. Foram montadas espécies de cabines individuais. Bandejão nem pensar. As refeições eram embaladas individualmente. Tudo para que o vírus ficasse bem longe dali.

Após dias intensos, Lázaro Ramos se despediu emocionado:

A gente não pode parar. São tantas histórias que a gente precisa e deve contar. Tantos empregos envolvidos. A gente agora tem que descobrir uma outra maneira [de filmar].
Lázaro Ramos
Stella Carvalho/Divulgação - Stella Carvalho/Divulgação
Lázaro Ramos, Paolla Oliveira e Malu Aloise nos bastidores de filmagem de 'Papai é Pop'
Imagem: Stella Carvalho/Divulgação
Continua depois da publicidade

Dirigido por Caíto Ortiz ("O Roubo da Taça"), a comédia "Papai É Pop" é baseada no livro best seller de Marcos Piangers, "O Papai É Pop". A produção é da Prodigo Films, em coprodução com a Galeria Distribuidora e o Grupo Telefilms.