PUBLICIDADE
Topo

Como Deus e a música ajudaram o rapper L7NNON durante sequestro no RJ

O rapper L7NNON
O rapper L7NNON
Reprodução / Instagram

Guilherme Lucio da Rocha

De Splash, em São Paulo

02/12/2020 04h00

Com apenas três anos de carreira, L7NNON já figura entre os principais nomes do hip-hop nacional.

O rapper, que recentemente lançou o álbum "Hip Hop Rare", tem nas suas composições mensagens de superação. E foi graças a uma delas que ele, vítima de um sequestro, tocou o coração de um dos criminosos.

Continua depois da publicidade

Num bate-papo com Splash, ele relembrou a passagem de dezembro de 2018 na sua cidade natal, Rio de Janeiro.

"Foi uma situação que não desejo pra ninguém, mas não acreditava que a minha vida ia acabar ali".

Estava andando de skate e fui comprar uma água, de carro. Era uma distância bem próxima. No caminho, meu celular descarregou. Parei o carro para carregar. Um outro veículo parou do meu lado e saíram três caras armados.

Já na companhia de quatro criminosos, o rapper começou a rodar a cidade até parar num posto de gasolina com caixa eletrônico.

Enquanto um pegou seu cartão e foi realizar saques, outros três ficaram no veículo.

Foi nesse momento que um dos sequestradores perguntou o que a vítima fazia da vida. L7NNON respondeu que era músico e cantava rap. O sequestrador pediu uma palinha e ele cantou um trecho de "Cai Babylon", que fala:

Senhor abençoe meu povo e que não morra mais nenhum inocente

Continua depois da publicidade

Depois que cantei, ele perguntou se eu era um moleque de Deus. Respondi que sim e ele começou a conversar comigo. Disse que trabalhava numa pizzaria, foi demitido, não conseguiu outro emprego e foi para o crime. Ele também falou que gostava de música e pediu desculpas pela situação.

Mesmo com o clima pesado —pois o sequestro estava em andamento—, o gelo foi quebrado e o cantor encantou seu sequestrador. Após sacarem uma quantia em dinheiro, os criminosos fugiram e liberaram L7NNON.

Mas o caso rendeu letra. Como "Cai Babilon" não havia sido lançada, L7NNON acrescentou mais umas linhas. O resultado final ficou assim:

Continua depois da publicidade

Cês gostam de falar que são bandidos
Já falei, minha postura não é marra
Fui sequestrado por duas horas
Se eu conto história, ele estoura minha cara
Perguntou o que que eu faço, eu falei rap
Falaram: Canta uma letra tua!
Eu falei: Escuta
Cantei o começo dessa, os cara me pediu desculpa

'Hip-Hop Rare' e relação com o skate

Lennon dos Santos Barbosa Frassetti, 26, é cria de Realengo, subúrbio do Rio, e antes de chamar a atenção no rap, ele foi destaque no skate. Viajou o mundo, disputou campeonatos... mas a arte falou mais alto

Quando lancei minha primeira música [em 2017], meu foco era o skate, algo com que me identifico desde moleque. Acabou dando certo. Nunca imaginei que alguém cantaria algo escrito por mim. O tanto de mensagens positivas que recebo me faz acreditar que esse é o caminho.

As mensagens positivas realmente vêm aos montes. No lançamento de "Hip Hop Rare", o nome de L7NNON foi parar nos trending topics do Twitter e o videoclipe da música "Nada É Para Sempre" estava entre os mais vistos do YouTube.

O trabalho tem participações de Black Alien, MC, Marks, MC Hariel e outros.

Continua depois da publicidade

Ainda tem muita gente para ouvir meu trabalho, ele é bem recente, mas a repercussão me surpreendeu de uma forma positiva. Com tão pouco tempo e muitos comentários.