PUBLICIDADE
Topo

Pedro Antunes

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Criticado até por Tiago Leifert no BBB 21, Batman Vs Superman é injustiçado

Ben Affleck e Henry Cavill em cena de "Batman vs Superman: A Origem da Justiça" (2016) - Divulgação
Ben Affleck e Henry Cavill em cena de "Batman vs Superman: A Origem da Justiça" (2016) Imagem: Divulgação
Pedro Antunes

Pedro Antunes, ou "Pô Antunes" pra quem só me conhece pelo Instagram, é jornalista, apresentador, curador e crítico de música e cultura pop desde 2010. Escreveu no Jornal da Tarde, Estadão e foi editor-chefe da Rolling Stone Brasil. Fez mais entrevistas do se lembra, tem um "novo disco favorito" por semana e faz mini-análises de álbuns no programa Tem um Gato na Minha Vitrola, no perfil @poantunes.

Colunista do UOL

11/02/2021 20h55

Eu entendo, leitor fã da DC Comics, dói. Machuca, mesmo. E é uma ferida não cicatrizada, daquelas ainda sensíveis.

Também entrei no hype de "Batman Vs Superman: A Origem da Justiça" quando rolaram as primeiras artes conceituais, o teaser, as encenações da Comic-Con de San Diego.

Pior ainda, ouvi da boca do próprio do diretor Zack Snyder que esse filme seria um estouro, durante uma visita ao set do filme numa cidadezinha nos arredores de Detroit, quando era repórter da Rolling Stone Brasil na minha primeira passagem pela revista.

Ouvi as ideias dele, conversei com atores, vi as roupas, os cenários. Voltei pra São Paulo acreditando que o filme seria arrebatador. Qualquer dia, faço um texto mais detalhado sobre aquela visita toda.

Dia desses, estava estirado no meu sofá acompanhando BBB 21 quando ouvi Tiago Leifert, apresentador do reality show, desdenhar do filme sem qualquer motivo aparente.

E, você quer saber, já está na hora da gente soltar esse grito que está entalado.

"Batman Vs Superman" não é tão ruim assim.

Ufa.

Não importa o que digam os críticos ("quem liga, afinal, para a crítica?", pergunta ironicamente o crítico/autor da coluna). Tirando um ou dois deslizes de roteiro e finalização, "Batman Vs Superman" é um filme bastante decente.

Inclusive, minha teoria é que se a Marvel não tivesse arrebentando com tudo com a fórmula lucrativa e repetitiva de filmes de super-heróis leves e com vilões esquecíveis, a rival DC e o filme-acontecimento "Batman Vs Superman" teria uma recepção melhor quando foi lançado, lá por 2016.

Minha impressão é que o fã-médio de adaptações dos quadrinhos para o cinema não se lembra de metade das histórias dos trocentos filmes da Marvel, com exceção de algum ou outro mais bombástico e daqueles realmente bons (caso de alguns três dos filmes de "Os Vingadores", "Capitão América: Soldado Invernal", "Guardiões da Galáxia Vol. 1", "Pantera Negra" e "Thor: Ragnarok").

Todo mundo se lembra da cena de "Martha", quando Batman e Superman decidem parar de trocar sopapos e entendem que, além de terem mães com o mesmo nome, também possuem um inimigo em comum.

Sim, "salve Martha" é um deslize, mas foi uma saída de roteiro mais atacada do que filmes inteiros esquecíveis da concorrência (alô Homem-Formiga 1 e 2, Homem de Ferro 2 e 3, Thor 1 e 2, Capitão América 1, Os Vingadores 2, Guardiões da Galáxia, Vol 2, entre outros).

A história central soou bagunçada, mas isso se deve mais à falta de tato do que de esmero.

"Batman Vs Superman" é sutil na construção desses personagens icônicos que dão título ao filme. Tão sutil que, às vezes, parece não existir.

Talvez a rivalidade entre o Morcegão e o Super devesse ter sido mais verbalizada, não contextualizada.

Por que as pessoas amam odiar "Batman Vs Superman"?

Esse foi o filme que colocou os maiores heróis da história dos quadrinhos um contra o outro, o que já é histórico, também. E mostrou aspectos interessantes da personalidade dos dois protagonistas.

Já virou clichê dizer que "Batman Vs Superman" é uma porcaria - ouviu, Tiago Leifert? - e possivelmente a culpa disso esteja na expectativa criada em torno da produção.

Fica clara a mão do estúdio no trabalho de Snyder para apressar as coisas. A concorrência já construía um universo cinematográfico para chamar de seu enquanto a Warner/DC tinham um início promissor com "O Homem de Aço", mas faltava chão a ser percorrido antes de promover o encontro daquele Superman de Henry Cavill e do Batman de Ben Affleck.

"Batman Vs Superman" funcionaria melhor se fossem dois ou três filmes.

Já imaginou uma trilogia inteira? Um filme com a visão do Superman, outro focado no Batman, um terceiro com o encontro de ambos. Sorrio só de imaginar a possibilidade.

Para piorar, correram para emplacar a Liga da Justiça sem qualquer identidade própria - e não há uma pessoa que me faça acreditar que o Snyder Cut dará um jeito naquele Frankenstein - e enterraram de vez as chances de "Batman Vs Superman" ser levado a sério.

Repito o que está escrito no título: o tempo mostrará que "Batman Vs Superman" não é um filme tão ruim assim. Foi uma vítima de uma mistura de expectativa, pressa e timing (diante de uma concorrência que aprendeu uma fórmula e decidiu segui-la).

Eu, mesmo, já fui infectado por esse ódio ao longa, preciso confessar. Devo ter escrito algum texto desdenhando do filme, mas admito humildemente que estava (quase) errado.

Portanto, faça esse favor ao DCnauta que existe dentro de você e assista ao filme mais uma vez. Depois, e só depois, fique à vontade para ir à caixa de comentários escrever como estou equivocado, como entendo patavinas de cinema e, claro, para me xingar com a elegância e finesse que só a internet brasileira proporciona.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL