PUBLICIDADE
Topo

Com decoração sem drama ou pressa, apê antigo vira símbolo de recomeços

Sala e varanda - Arquivo Pessoal
Sala e varanda Imagem: Arquivo Pessoal

Carol Scolforo

Colaboração para Nossa

24/03/2022 04h00

Matogrossense, o designer Diego Ouro Preto está em São Paulo há 11 anos e morava em outra casa quando a vida virou ao avesso: ele se separou e percebeu que precisava virar a página. Após uma temporada na Austrália, as ideias se renovaram.

Queria morar no centro da cidade, em um prédio com história. Sou apaixonado por arquitetura e pelos prédios lindos antigos dessa região, sem contar a locomoção, que é simples", conta.

Em abril de 2021, ele estava em uma busca incessante quando bateu na portaria certa. Este apartamento estava disponível, com seus janelões antigos, tacos de outros tempos e recém-reformado. Tornou-se então um feliz "santa-cecilier".

"Esse lugar marca minha história de recomeço", diz. Está tudo registrado no insta @lardedetalhes, nome que surgiu após ele se dar conta de que os detalhes é que transformam uma casa em um lar.

Os detalhes da casa me abraçaram nesse recomeço. Era uma tela em branco. Cada coisinha que coloco aqui faz parte da reconstrução do Diego"

Diego em casa - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Diego em casa
Imagem: Arquivo Pessoal

Devagar se vai longe

Pé-direito alto, uma bela varandinha para dispor suas plantas e todo branco, o apê parecia pedir para ser colorido com personalidade."Amo cores e vários estilos. Tenho colocado aos poucos, sem pressa", ele conta.

Por enquanto, o banheiro rosa e o quarto com pintura verde setorizada são testemunhas de que é melhor ir devagar e sempre.

"A decoração vai se montando aos poucos. É difícil se prender a um estilo exato. A sensação de abrir a porta e sentir que é meu lar, para mim, é o mais importante. Encontro isso em vários aspectos: plantas, que me dão vida e rotina, memórias de família, achados", pontua Diego.

Hoje, enquanto toma café devagar pela manhã ele vivencia cada um dos rituais que não tinha, quando trabalhava no mundo corporativo.

"Cuidar das plantas, observar como o sol entra pela janela, ver as fotos da família pelos ambientes e estar na cozinha assando alguma coisa é algo que faz eu me sentir em casa. Finalmente."

Dicas do Diego para dar personalidade à casa

Detalhe da mesinha feita por Diego com cabides - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Detalhe da mesinha feita por Diego com cabides
Imagem: Arquivo Pessoal
  • Abra-se às transformações. "Viva a casa, nunca a deixe pronta e perfeita. Ela reflete muito de você e é importante que ela mude de tempos em tempos."
  • Casa alugada? Sem drama. "Se você vive ali, conecte-se com esse espaço. Com tinta você pode fazer muitas mudanças sem custo alto. Comecei a casa com um colchão no chão. Só de pintar, já me animei de fazer outras mudanças. Isso muda a energia do lugar e ajuda a visualizar outras coisas que podem surgir."
  • Não faça tudo de uma vez. "Vá aos poucos, uma mudança por vez. Sem ansiedade, a casa deve ser feita aos poucos."
  • Como encontrar sua casa? "Bata na portaria de cada prédio do bairro que você gosta. Às vezes os funcionários têm a chave de alguma unidade disponível e você ganha agilidade nessa busca."
  • Plantas: pesquise sempre. "O ideal é ficar atento à luminosidade e à ventilação do espaço que você tem para as plantas, antes de escolhê-las. Ainda assim, não é garantia de que dará certo. As plantas são sensíveis e precisamos observar a reação delas a cada ambiente para que elas vivam bem."
  • Quadros: nada de se afobar. "Não precisa comprar tudo de uma vez só. Vá colocando quadros com significados na sua casa. Ela não precisa ser um showroom, pode ter uma decoração que acontece aos poucos. O importante é que a casa seja para você, sem desejar uma casa inacessível à sua realidade."

@s que me inspiram

@probablythis

“Esse casal mora nos EUA e faz transformações muito legais. Sem falar na estética impecável das imagens, que me inspiram.”

@lottlott

“As composições do Michell Lott são um pouco cenográficas, mas são legais para aquela ideia de repertório quando você for ousar na decoração.”