PUBLICIDADE
Topo

Caprichar na iluminação é boa aposta para renovar a casa; veja como fazer

Projeto com pendente com luz difusa para a mesa de jantar, sanca com iluminação e spots direcionáveis - Acervo pessoal/ Elton Casarin, @casarinmonteiro
Projeto com pendente com luz difusa para a mesa de jantar, sanca com iluminação e spots direcionáveis
Imagem: Acervo pessoal/ Elton Casarin, @casarinmonteiro

Dan Novachi

Colaboração para Nossa

15/01/2022 04h00

Reparar nos detalhes e pensar em maneiras de deixar os ambientes mais confortáveis é um processo natural quando ficamos mais tempo em casa. As funções de cada espaço, com seu uso intensificado, passam a se tornar mais nítidas, assim como os pequenos pontos que precisam de melhoria. Além da pintura das paredes, uma outra saída econômica para dar uma repaginada em casa é investir na iluminação.

Em 2020, o Google Trends, gerador de estatísticas de buscas do Google, registrou um aumento de 200% nas buscas por "dicas de iluminação" no Brasil. De olho nessa necessidade e para mergulhar no universo das luminárias, luzes, lâmpadas e lustres, separamos algumas dicas para você acertar nas escolhas.

Faça-se a luz

Para repensar as luzes de casa é preciso entender alguns outros detalhes sobre as lâmpadas. Passo número 1 é saber as diferenças das cores comerciais residenciais e as necessidades de iluminação de cada ambiente, para tomar uma decisão acertada.

De acordo com Elton Casarin, arquiteto da @casarinmonteiro, nessa escolha é imprescindível considerar qual tipo de atividade será desenvolvida no local.

Para espaços de trabalho e leitura, o mais recomendado são as luzes de temperatura neutra (branco morno — 4500k) pois, além de terem ótima reprodução de cor (mais próximo da luz do dia) também ajudam na atenção, lâmpadas muito amareladas ou muito brancas podem causar cansaço na vista"

Sala em conceito aberto exibe diferentes usos de iluminação, de spots a pendentes - Acervo pessoal/Elton Casarin, @casarinmonteiro - Acervo pessoal/Elton Casarin, @casarinmonteiro
Sala em conceito aberto exibe diferentes usos de iluminação, de spots a pendentes
Imagem: Acervo pessoal/Elton Casarin, @casarinmonteiro

Por outro lado, em ambientes de descanso e relaxamento, como quartos, salas de estar, salas de jantar e varandas, o mais recomendado são as luzes de temperatura quente (branco quente — 2500\3000k) pois são tons que tornam o ambiente mais aconchegante.

Já para ambientes como banheiros e cozinhas, Elton explica que a maioria das pessoas preferem trabalhar com luzes de temperatura fria (branco frio — maior que 6000k). A questão é que as luzes brancas tendem a ser azuladas, o que em excesso pode deixar o ambiente triste e depressivo.

O mais aconselhado, se for utilizar luzes brancas, por ter maior índice de luminosidade, é mesclar com luzes mornas ou quentes, garantindo a boa reprodução de cores na hora de escolher os alimentos na cozinha ou fazer a maquiagem no banheiro, por exemplo"

Projeto com iluminação difusa indireta no detalhe de gesso sobre a cama e luz direcionável para leitura na cabeceira - Acervo pessoal/ Elton Casarin, @casarinmonteiro  - Acervo pessoal/ Elton Casarin, @casarinmonteiro
Projeto com iluminação difusa indireta no detalhe de gesso sobre a cama e luz direcionável para leitura na cabeceira
Imagem: Acervo pessoal/ Elton Casarin, @casarinmonteiro

Gênio da lâmpada

Depois de definirmos os tipos de luz para cada utilização de espaços, vamos para outra decisão estratégica: os tipos de lâmpada. Elton orienta que, para iluminação geral e difusa, as placas de led são ótimas opções. Além de econômicas, elas proporcionam um bom grau de iluminação.

Para iluminação focal em áreas com pé direito baixo, entre 2,50 m e 3 m, uma boa opção é utilizar as lâmpadas de led PAR20, que possuem um foco mais aberto; e a dicroica, com o foco mais fechado e ideal para utilizar em spots e trilhos. No caso de pé direito mai alto, com 4 m a 6 m, as opções com o melhor custo benefício e mais fáceis de achar no mercado são as AR70 e AR111 que possuem focos com maior alcance.

Iluminação geral 4500k na sanca da cozinha para luz neutra. Spots direcionáveis com lâmpada dicróica 3000k. Utiliza duas temperaturas de cor para ter boa reprodução de cores e um ambiente mais aconchegante. - Acervo pessoal/Elton Casarin, @casarinmonteiro - Acervo pessoal/Elton Casarin, @casarinmonteiro
Neste projeto: iluminação geral 4500 k na sanca da cozinha para luz neutra e spots direcionáveis com lâmpada dicróica 3000 k. Utiliza duas temperaturas de cor para ter boa reprodução de cores e um ambiente mais aconchegante
Imagem: Acervo pessoal/Elton Casarin, @casarinmonteiro

Se o objetivo for iluminar móveis e bancadas de cozinha, por exemplo, é possível apostar nas fitas de led. "Hoje em dia, existe no mercado perfis de alumínio que facilitam na hora de embutir e dar melhor acabamento nas fitas, evitando aqueles indesejados pontinhos de luz que podem ofuscar a visão", propõe Elton.

É importante combinar

Dentro de casa é comum que ambientes abriguem diversas necessidades diferentes, por isso é interessante investir em mais de um tipo de iluminação.

Quarto sem luz de teto, com pendente na lateral da cama e luminária com luz indireta na parede. - Acervo pessoal/Samira Rodrigues, @cachoarquitetura  - Acervo pessoal/Samira Rodrigues, @cachoarquitetura
Quarto sem luz de teto, com pendente na lateral da cama e luminária com luz indireta na parede.
Imagem: Acervo pessoal/Samira Rodrigues, @cachoarquitetura
Banheiro com fechamento de vidro que auxilia na iluminação do quarto - Acervo pessoal/Samira Rodrigues, @cachoarquitetura  - Acervo pessoal/Samira Rodrigues, @cachoarquitetura
Banheiro com fechamento de vidro que auxilia na iluminação do quarto
Imagem: Acervo pessoal/Samira Rodrigues, @cachoarquitetura

Segundo a arquiteta Samira Rodrigues, da @cachoarquitetura, em cômodos como a sala de estar é possível combinar uma iluminação para clarear o ambiente como um todo e, ao mesmo tempo, ter arandelas ou abajures para momentos de descanso.

Já nos quartos, a mistura ideal compõe a iluminação de teto para clarear o ambiente com arandelas e abajures na cabeceira, tanto para uma luz mais confortável na hora de dormir como para ter mais iluminação para leitura.

Iluminação indireta em trilho e pendentes para mesa - Acervo pessoal/Samira Rodrigues, @cachoarquitetura - Acervo pessoal/Samira Rodrigues, @cachoarquitetura
Iluminação indireta em trilho e pendentes para mesa
Imagem: Acervo pessoal/Samira Rodrigues, @cachoarquitetura

A cozinha, por outro lado, pode ter uma iluminação geral e uma iluminação focada na bancada e na mesa. Os banheiros podem ter iluminação para o box, para o banheiro como um todo, e iluminação exclusiva para o espelho, de modo que não faça sombra no rosto.

Uso de abajur e composição com diferentes tipos de iluminação - Acervo pessoal/Samira Rodrigues, @cachoarquitetura  - Acervo pessoal/Samira Rodrigues, @cachoarquitetura
Uso de abajur e composição com diferentes tipos de iluminação
Imagem: Acervo pessoal/Samira Rodrigues, @cachoarquitetura

Quando os cômodos tiverem um pé-direito alto é preciso atenção para a iluminação ser suficiente para o ambiente. Nesses casos, o uso de arandelas e luminárias pendentes pode surtir melhor resultado.

"É importante pensar que as luminárias não precisam estar acesas ao mesmo tempo, assim a iluminação pode ser pensada para momentos e usos diferentes", aconselha Samira.

Arandelas ligadas na tomada e pendentes com iluminação difusa - Acervo pessoal/Elton Casarin, @casarinmonteiro  - Acervo pessoal/Elton Casarin, @casarinmonteiro
Arandelas ligadas na tomada e pendentes com iluminação difusa
Imagem: Acervo pessoal/Elton Casarin, @casarinmonteiro
A mesma arandela pode virar uma luminária de mesa, deixando a iluminação mais aconchegante - Acervo pessoal/Elton Casarin, @casarinmonteiro  - Acervo pessoal/Elton Casarin, @casarinmonteiro
A mesma arandela pode virar uma luminária de mesa, deixando a iluminação mais aconchegante
Imagem: Acervo pessoal/Elton Casarin, @casarinmonteiro

Luzes alternativas

Ananda Nunes, arquiteta do @studioterral também lembra algumas apostas inusitadas na iluminação que auxiliam a compor a decoração.

Letreiro Decorativo: charme despojado à sala com iluminação - Acervo pessoal/Ananda Nunes, @studioterral  - Acervo pessoal/Ananda Nunes, @studioterral
Letreiro decorativo: charme despojado à sala com iluminação
Imagem: Acervo pessoal/Ananda Nunes, @studioterral

Os letreiros led são legais para criar um ambiente descontraído e acolhedor. Não são luminárias que fornecem a iluminação central de um ambiente, mas o efeito delas com luz baixa é ótimo para um mood mais romântico"

Outra ideia que também pode ser uma aliada na hora de criar um ambiente mais acolhedor são as "luzinhas de tomada",

Já Samira sugere como dica o uso de dimmers, dispositivos que permitem a variação da luminosidade regulando a intensidade do brilho da iluminação.

"Os dimmers podem ser um bom elemento para produzir efeitos diferentes no ambiente. Se usados na sala e no quarto, permitem deixar a luz mais intensa quando se está lendo ou trabalhando, e deixar mais baixa para momentos de descanso. Ele também é uma boa indicação para quartos de bebê, possibilitando a claridade sem atrapalhar o sono do bebê", aconselha Samira.

Deixa o sol entrar

Para Elton, outro ponto importante que deve ser levado em consideração é a iluminação natural.

"Nada no mundo substitui uma boa luz do dia. Direcionar as bancadas de trabalho, seja ela no escritório ou na cozinha, próximas da janela é sempre a melhor opção", encoraja. No entanto, caso não seja possível, a iluminação artificial está aí para ajudar.

Pendente com luz difusa para a mesa de jantar - Acervo pessoal/ Elton Casarin, @casarinmonteiro - Acervo pessoal/ Elton Casarin, @casarinmonteiro
Pendente com luz difusa para a mesa de jantar
Imagem: Acervo pessoal/ Elton Casarin, @casarinmonteiro

Atenção às cores

Ananda orienta que a cor das paredes está intimamente atrelada à iluminação, já que a luz incide sobre essas superfícies e promove o seu reflexo. Ela explica que ambientes com cores claras, quando muito iluminados, podem gerar desconforto. Os ambientes escuros, por outro lado, já criam um ar intimista e, portanto, necessitarão de mais iluminação.

A dica do Elton, no caso de paredes escuras, é utilizar lâmpadas que tenham foco, arandelas ou luminárias de piso. Assim, é possível direcionar maior luminosidade para onde se precisa. No entanto, se houver a necessidade de iluminação difusa geral, que não gere sombras — em espaços para trabalhar, por exemplo —, luminárias pendentes de luz difusa dispostas próximas às superfícies podem trazer a solução perfeita.

Iluminação pontual com sport direcionáveis para destacar a parede geométrica - Acervo pessoal/ Elton Casarin, @casarinmonteiro  - Acervo pessoal/ Elton Casarin, @casarinmonteiro
Iluminação pontual com spots direcionáveis para destacar a parede geométrica
Imagem: Acervo pessoal/ Elton Casarin, @casarinmonteiro

Quanto aos ambientes com paredes muito claras, uma boa solução para minimizar o excesso de luz é trabalhar com luminárias rebatedoras, onde a fonte de luz fica oculta e a iluminação do ambiente fica por conta da luz que rebate no teto ou parede. Essas luminárias são muito utilizadas em quartos ou salas de estar, pois produzem um efeito aconchegante. O mesmo serve para locais de trabalho: luz indireta ajuda a não ter cansaço visual nem ofuscamento.