PUBLICIDADE
Topo

Cidade de Sergipe abriga praça que é Patrimônio Mundial da Unesco; conheça

Praça São Francisco, em São Cristóvão (Sergipe) - Heitor Xavier/Acervo Prefeitura de São Cristóvão
Praça São Francisco, em São Cristóvão (Sergipe)
Imagem: Heitor Xavier/Acervo Prefeitura de São Cristóvão

Marcel Vincenti

Colaboração para Nossa

04/10/2021 04h00

O Brasil tem 22 locais classificados como Patrimônios Mundiais pela Unesco, como o centro histórico de Olinda (Pernambuco), o centro histórico de Salvador (Bahia) e o Parque Nacional Serra da Capivara (Piauí). E, nesta seleta lista de lugares brasileiros de grande importância para a cultura ou natureza do planeta, está um município de Sergipe que não é muito conhecido fora do Nordeste.

Trata-se da Praça São Francisco, na cidade de São Cristóvão, a aproximadamente 25 quilômetros de Aracaju.

Passear por este espaço público é como voltar no tempo. Lá, o visitante pode explorar o sobrado do Antigo Palácio Provincial, construção barroca do século 18 onde hoje opera o Museu Histórico de Sergipe, com um acervo com relíquias da época do Brasil Império.

Arquitetura ao redor da Praça São Francisco, em São Cristóvão (Sergipe) - Heitor Xavier/Acervo Prefeitura de São Cristóvão - Heitor Xavier/Acervo Prefeitura de São Cristóvão
Arquitetura ao redor da Praça São Francisco, em São Cristóvão (Sergipe)
Imagem: Heitor Xavier/Acervo Prefeitura de São Cristóvão

Na paisagem da praça também se destaca o complexo da Igreja e Convento São Francisco, com construções dos séculos 17 e 18.

E, na ala esquerda do convento, fica a Capela da Ordem Terceira de São Francisco, onde o turista encontra o Museu de Arte Sacra de São Cristóvão: a instituição possui mais de 500 obras de arte sacra, com itens dos séculos 18 e 19.

Detalhe do Convento São Francisco, em São Cristóvão (Sergipe) - Heitor Xavier/Acervo Prefeitura de São Cristóvão - Heitor Xavier/Acervo Prefeitura de São Cristóvão
Detalhe do Convento São Francisco, em São Cristóvão (Sergipe)
Imagem: Heitor Xavier/Acervo Prefeitura de São Cristóvão

E os atrativos não param por aí: em uma caminhada pela praça, o visitante admira a Igreja Santa Izabel (da primeira metade do século 18) e a Santa Casa de Misericórdia, construção do século 18 que já foi asilo, orfanato e, hoje, abriga o Centro Administrativo da Prefeitura Municipal de São Cristóvão.

No desenho da Praça São Francisco, todas estas edificações compõem paisagem com um chamativo casario colonial, em um dos centros históricos mais interessantes de todo o Nordeste.

Influência portuguesa e espanhola

Atrações de São Cristóvão, em Sergipe

Uma das cidades mais antigas do Brasil, São Cristóvão foi fundada em 1590, época em que as coroas da Espanha e Portugal estavam unificadas.

E isso ajudou a dar à Praça São Francisco as características que, hoje, são consideradas de grande importância histórica e arquitetônica pela Unesco.

A Praça São Francisco é um conjunto excepcional e homogêneo composto por edifícios que representam o período de união das coroas portuguesa e espanhola", informa a Unesco.

Continua a Unesco: "esta é uma praça que incorpora o conceito de Plaza Mayor empregado nas cidades coloniais da América Hispânica ao mesmo tempo em que está inserida nos padrões das cidades coloniais portuguesas localizadas em regiões tropicais."

A Unesco, além disso, reconhece a importância das edificações que existem ao redor da praça.

Igreja São Francisco, em São Cristóvão (Sergipe) - Heitor Xavier/Acervo Prefeitura de São Cristóvão - Heitor Xavier/Acervo Prefeitura de São Cristóvão
Igreja São Francisco, em São Cristóvão (Sergipe)
Imagem: Heitor Xavier/Acervo Prefeitura de São Cristóvão

Segundo a entidade, a Igreja e Convento São Francisco "é um exemplo da arquitetura franciscana que foi desenvolvida no Nordeste brasileiro. E toda a paisagem da praça reflete a história da cidade de São Cristóvão desde sua origem".

Mais atrações

Para o turismo religioso, a cidade também oferece o Conjunto Arquitetônico do Carmo, complexo do início do século 18 que reúne o Convento do Carmo, a Igreja Conventual e a Igreja da Ordem Terceira.

Gruta no convento do Carmo onde Santa Dulce rezava, em São Cristóvão (Sergipe) - Heitor Xavier/Acervo Prefeitura de São Cristóvão - Heitor Xavier/Acervo Prefeitura de São Cristóvão
Gruta no convento do Carmo onde Santa Dulce rezava, em São Cristóvão (Sergipe)
Imagem: Heitor Xavier/Acervo Prefeitura de São Cristóvão

O convento do Carmo, por exemplo, abriga um memorial com objetos relacionados à Irmã Dulce — que recebeu, em São Cristóvão, o hábito da Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição.

Pátio do Convento do Carmo, em São Cristóvão (Sergipe) - Heitor Xavier/Acervo Prefeitura de São Cristóvão - Heitor Xavier/Acervo Prefeitura de São Cristóvão
Pátio do Convento do Carmo, em São Cristóvão (Sergipe)
Imagem: Heitor Xavier/Acervo Prefeitura de São Cristóvão

A cidade, além disso, é tradicional palco para movimentados eventos religiosos, como a Festa de Senhor dos Passos (realizada durante a Quaresma há mais de 200 anos e que costuma reunir milhares de pessoas em procissões pelo centro histórico) e a Procissão do Fogaréu (realizada na noite da quinta-feira da Semana Santa e com homens carregando tochas pelas ruas da cidade).

E, na região de São Cristóvão, ainda é possível admirar as paisagens naturais banhadas pelo rio Paramopama e provar os bricelets, biscoitos finos com leve sabor de limão.

Bricelets, delícia típica de São Cristóvão, em Sergipe - Heitor Xavier/Acervo Prefeitura de São Cristóvão - Heitor Xavier/Acervo Prefeitura de São Cristóvão
Bricelets, delícia típica de São Cristóvão, em Sergipe
Imagem: Heitor Xavier/Acervo Prefeitura de São Cristóvão