PUBLICIDADE
Topo

Elefante destrói parede de casa na Tailândia e 'furta' saco de arroz; veja

Elefante colocando o saco de arroz na boca, após bagunçar a despensa do casal - Reprodução/YouTube/Viral Press
Elefante colocando o saco de arroz na boca, após bagunçar a despensa do casal Imagem: Reprodução/YouTube/Viral Press

Colaboração para o UOL, em São Paulo

21/06/2021 11h18

Um casal da Tailândia passou por um susto na madrugada de ontem, quando um elefante destruiu a parede da cozinha de sua casa e pegou um saco de arroz. Apesar do choque com a cena, os humanos conseguiram espantar o animal, que desapareceu na floresta sem deixar ninguém ferido.

Rachadawan Phungprasopporn e seu marido foram acordados pelo barulho às 2h da manhã, no horário local, e correram para a cozinha para ver o que havia acontecido. Ao chegar no cômodo, eles ficaram cara a cara com as presas de marfim do elefante, que estava com a tromba na despensa em busca de comida.

Segundo Rachadawan essa não foi a primeira vez que o animal "travesso" foi visto na área. "Ele veio até minha casa há cerca de dois meses e estava olhando em volta, mas não danificou nada", relatou a mulher para o jornal Daily Mail.

Na ocasião, Rachadawan disse ter entrado em contato com os oficiais de vida selvagem e recebido o conselho de não deixar alimentos na cozinha, pois o cheiro poderia continuar atraindo o animal.

Contudo, havia um saco de arroz debaixo da pia na noite de ontem, que foi achado pelo elefante, e, provavelmente, o incentivou a invadir a casa.

Felizmente, o animal pôde ser espantado após "furtar" o alimento, mas, de acordo com a mulher, o custo para consertar a parede destruída por ele está em torno de 50 mil bahts (cerca de R$ 8 mil) e ela se diz "preocupada que ele possa voltar".

A Tailândia tem cerca de 2.000 elefantes asiáticos vivendo na natureza. Entretanto, conflitos como o passado pelo casal não são raros, especialmente nas estradas e aldeias do país asiático.

O agente conservacionista Supanya Chengsutha disse que a comida pode sim, ter atraído o elefante para a casa de Rachadawan. Mas, segundo ele, isso não aconteceu porque o animal estava faminto, visto que há abundância de alimentos para ele na natureza.

A invasão, portanto, pode representar uma mudança no hábito alimentar dos elefantes da região, ocasionada justamente pelo contato com humanos. "Eles começaram a gostar da comida que as pessoas comem", destacou o conservacionista.