PUBLICIDADE
Topo

10 passos para deixar o home office mais funcional

Claudia Dias

Colaboração para Nossa

23/03/2020 04h00

Trabalhar em casa não tem nada a ver com sentar no sofá, segurando o laptop no colo, ou aproveitar a mesa principal, fora dos horários das refeições.

Bem ao contrário, é necessário ter uma estrutura mínima, tanto para o fluxo das tarefas não ser comprometido quanto o corpo não sentir dores por posições inadequadas.

Com ajuda de um time de especialistas, mostramos o que é importante e o que realmente funciona para montar um home office bem funcional.

1. Delimite a área

Home office pensado por designer de interiores Ana Weege - Rafael Renzo - Rafael Renzo
Home office pensado por designer de interiores Ana Weege
Imagem: Rafael Renzo

Mesmo que você não conte com muito espaço disponível e tenha que compartilhar ambientes, é importante delimitar o lugar que será usado para trabalho. Quanto menos interferência, mais concentração terá. Nesse caso, vale apostar em portas de correr embutidas ou vazadas, biombos ou mesmo móveis maiores, como fez a designer de interiores Ana Weege, que adotou uma estante para demarcar as áreas.

2. Explore a iluminação natural

Home office planejado pela Andrade & Mello Arquitetura - Luis Gomes - Luis Gomes
Home office planejado pela Andrade & Mello Arquitetura
Imagem: Luis Gomes

Tente aproveitar ao máximo a iluminação natural. Se possível, instale a mesa o mais perto da janela. Uma alternativa é montar o home office na sacada, já que a luz do sol é abundante e o espaço, muitas vezes, inutilizado, como fizeram os arquitetos da Andrade & Mello Arquitetura. Para controlar a intensidade, vale apostar em persianas de rolo ou, dependendo do caso, blackouts.

3. Prefira luz branca e centralizada

Ambiente projetado pela Très Arquitetura - Evelyn Müller - Evelyn Müller
Ambiente projetado pela Très Arquitetura
Imagem: Evelyn Müller

Boa iluminação é imprescindível. As lâmpadas brancas são mais indicadas para deixar o ambiente bem claro. Se possível, mantenha a mesa posicionada embaixo da luz central, para não criar sombras sobre a área de trabalho - as arquitetas Fernanda Morais, Fernanda Tegacini e Nathalia Mouco, da Très Arquitetura, fizeram isso no home office com persiana escura. Já a luz amarela é mais confortável e recomendada para momentos de relaxamento. Prefira adotá-la em luminárias no cantinho de leitura.

4. Escolha uma cadeira confortável

Projeto da TT Interiores - Gisele Rampazzo - Gisele Rampazzo
Projeto da TT Interiores
Imagem: Gisele Rampazzo

Outro item fundamental para trabalho em casa fluir bem é contar com uma cadeira confortável. Não só isso, ela também precisa ser ergonômica para que as dores na coluna não surjam no decorrer do dia. A cadeira ideal deve ter braços, assento e encosto reguláveis. As costas precisam ficar alinhadas com a estrutura da cadeira, garantindo a boa postura (isso também afeta a concentração, sabia?). É melhor o encosto ser alto, como na peça adotada no home office projetado pelo escritório TT Interiores.

5. Computador na altura dos olhos

É bem comum o uso de laptops em home offices e, muitas vezes, o posicionamento do computador é inadequado. O ideal é que o topo da tela fique na altura dos olhos. Para tanto, vale optar por suportes prontos ou mesmo improvisar, adotando uma pilha de livros horizontais para chegar até o ponto recomendado.

6. Aposte em nichos para organizar

Home office dentro do quarto, como proposto por Bruno Carvalho - Rafael Renzo - Rafael Renzo
Home office dentro do quarto, como proposto por Bruno Carvalho
Imagem: Rafael Renzo

Trabalhar em ambiente bagunçado, com muitos itens espalhados em cima da mesa, atrapalha bastante, pois são fontes de distração. Quanto mais organizado o espaço, menos estímulo para se dispersar. É por isso que, nos home offices, não podem faltar nichos modulares, prateleiras e estantes (de chão ou suspensas). No quarto com bancada projetado pelo designer de interiores Bruno Carvalho, os nichos fixados parede deixam tudo organizado e, ao mesmo tempo, à mão.

7. Parede de lousa e mural ajudam

Soluções criativas também entram no home office do projeto de Cordista Interiores e Lighting - Julia Herman Fotografia - Julia Herman Fotografia
Soluções criativas também entram no home office do projeto de Cordista Interiores e Lighting
Imagem: Julia Herman Fotografia

Verdade seja dita, é fácil perder o foco no home office e uma boa dica é deixar a lista de atividades do dia anotada em lugar visível. Pode ser uma parede de lousa (para anotar com giz), mural de cortiça (para post-its com alfinetinhos) ou os moderninhos pegboards (painéis de madeira com furinhos que permite pendurar vários acessórios). No projeto assinado pela designer de interiores Camila Cordista, do Cordista Interiores e Lighting, a parede pintada de tinta fosca bem à entrada do home office foi a solução.

8. Escolha a cor certa

Ana Weege atentou para a cor do home office - Rafael Renzo - Rafael Renzo
Ana Weege atentou para a cor do home office
Imagem: Rafael Renzo

Tonalidades mais neutras costumam ajudar a iluminação, proporcionando mais conforto visual. Já as cores muito escuras devem ser evitadas para não cansar. Além disso, o ambiente de trabalho pode ganhar ajuda da cromoterapia. Se há necessidade de maior concentração, por exemplo, verde e azul são os tons mais indicados. Para criatividade, amarelo e laranja caem muito bem. As cores podem ser adotadas no mobiliário, decoração ou nas paredes, como neste projeto da designer de interiores Ana Weege.

9. Pés no chão

Além das costas apoiadas no encosto da parede, é importante que os pés alcancem o chão. A perna também deve formar um ângulo de 90 graus. Se isso não acontecer com a mesa e a cadeira escolhidas, vale investir em um suporte para pés. Há vários modelos disponíveis no mercado.

10. Mesa com tamanho ideal

Projeto do Infinity Spaces - Dotta - Dotta
Projeto do Infinity Spaces
Imagem: Dotta

O móvel que recebe o computador é outro detalhe que pede atenção. A bancada ou mesa precisa estar a 75 cm do piso, altura padrão para qualquer tipo de cadeira. O tampo recomendado deve ter, pelo menos, 50 cm de profundidade e 1,20 m de largura por pessoa. Nesse projeto da designer de interiores Giseli Koraicho, do escritório Infinity Spaces, o usuário tem liberdade de movimento.

Fontes: arquitetos Danielle Dantas e Paula Passos, do escritório Dantas & Passos Arquitetura, Erika Mello e Renato Andrade, da Andrade e Mello Arquitetura, Gabriela Mendes, Marcelo Rosset, Nicole Gomes, da Labluz, Pati Cillo e as designers de interiores Tássia Pereira, da TT Interiores, e Patrícia Hagobian.