PUBLICIDADE
Topo

China proíbe temporariamente entrada de estrangeiros no país; entenda

Imagem aérea das ruas de Wuhan, na China - STR/AFP
Imagem aérea das ruas de Wuhan, na China
Imagem: STR/AFP

26/03/2020 18h49

A China vai proibir temporariamente a entrada de estrangeiros no país, mesmo que tenham vistos e autorizações de residência em vigor, como medida de emergência para conter a propagação do novo coronavírus.

O Ministério das Relações Exteriores informou nesta quinta-feira que a medida "passa a vigorar à meia-noite do próximo sábado (28)", pelo horário de Pequim.

"Em vista da rápida disseminação da Covid-19 pelo mundo, a China suspenderá temporariamente a entrada no país de cidadãos estrangeiros com vistos ou autorizações de residência válidos no momento deste anúncio", disse o Ministério em comunicado.

A pasta alega que a China "se viu obrigada" a tomar a decisão "de acordo com a situação do surto e práticas em outros países", com o objetivo de conter os chamados casos "importados" da doença, ou seja, provenientes de pessoas que a contraíram em outros países ou após terem contato com elas.

Haverá exceções para os estrangeiros que façam parte do corpo diplomático ou titulares de vistos "C", concedidos a funcionários de serviços de transporte internacional.

"Os cidadãos estrangeiros que precisam viajar para a China para participar de atividades econômicas, comerciais, científicas ou tecnológicas necessárias podem solicitar vistos nas embaixadas ou consulados chineses", acrescenta o documento.

Além disso, a partir do próximo domingo, as companhias aéreas do país só poderão operar um voo por semana para cada país estrangeiro para onde viajarem, enquanto as companhias aéreas estrangeiras só poderão manter uma rota aérea com a China com um voo por semana, anunciou a Administração de Aviação Civil Chinesa (CAAC). A entidade também pede a essas empresas que apresentem pedidos com antecedência para estabelecer suas rotas, segundo a agência "Xinhua".

Medidas mais rigorosas também serão tomadas para deter a propagação do vírus nos voos de entrada e saída do país e para garantir que a carga de passageiros seja inferior a 75%, de acordo com a CAAC, que acrescentou que poderia reduzir ainda mais os voos internacionais se necessário.

As autoridades chinesas estão particularmente preocupadas com o surto dos chamados casos "importados". Houve 67 novas infecções desse tipo nesta quarta-feira, um novo recorde, e nenhuma localmente. Ao todo, já são 541 pessoas que entraram na China com Covid-19, segundo a Comissão Nacional de Saúde.

Pequim já havia anunciado na semana passada o desvio dos voos que tinham a capital como destino, em uma iniciativa para garantir que os casos não continuem aumentando na cidade. Além disso, a cidade está forçando todos os estrangeiros que chegam a ficarem confinados em hotéis durante 14 dias, uma medida que Xangai também passou a aplicar.

O número total de pessoas infectadas diagnosticadas na China desde o início da pandemia é de 81.285, com 3.287 vítimas.