PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Falhas individuais prejudicam Fluminense mais uma vez em momento decisivo

Esporte News Mundo (redacao@esportenewsmundo.com.br)

16/09/2021 06h00

O Fluminense foi derrotado pelo Atlético-MG por 1 a 0, nesta última quarta-feira, no Mineirão, e se despediu da Copa do Brasil nas quartas de final. O Tricolor precisava reverter a derrota na ida (2 a 1) e chegou a pressionar no primeiro tempo, mas sofreu um gol de pênalti – convertido por Hulk – no início da etapa final e não teve forças para reagir.

Novamente o Fluminense foi vítima de uma falha individual. O lateral-esquerdo Danilo Barcelos foi o responsável por cometer o pênalti a favor do Atlético-MG após saltar com o braço aberto – de uma forma que não é considerada natural pela regra – e desviar o trajeto da bola. Após consultar o lance no VAR, o árbitro assinalou a penalidade.

Desde o ano passado, o Fluminense montou uma base competitiva e chegou a conquistar uma vaga na Libertadores. Após Marcão assumir o comando no lugar de Roger Machado, o Tricolor mostrou que novamente vai entrar na disputa por um lugar no G-6. Entretanto, a falta de qualidade e de reposição de alguns setores tem prejudicado nos momentos decisivos.

Erro de Danilo Barcelos prejudicou o Fluminense contra o Atlético-MG (Foto: Lucas Merçon/FFC)

Em 2021, o Fluminense sofreu com falhas individuais em momentos cruciais como no segundo jogo da final do Carioca e na partida de ida das quartas de final da Libertadores. É evidente que quando o Tricolor enfrenta uma equipe de nível semelhante ou superior, tais peças acabam prejudicando e colocam em risco o planejamento da temporada.

– Foi um primeiro tempo muito igual. Nossa equipe conseguiu mudar conforme o Atlético. Quase resultou em gol. Sabíamos que jogar aqui seria muito difícil. Quando tomamos o gol, teríamos que, de alguma forma, arriscar mais. Tentamos de tudo, mas infelizmente não deu – lamentou Marcão.

Após perder o jogo de ida, o Fluminense precisava reverter a derrota em Belo Horizonte. O Tricolor se defendeu bem e aproveitou os espaços para criar. E teve chances com Fred e Luiz Henrique, mas não aproveitou. Porém, o erro de Danilo Barcelos na etapa final derrubou qualquer reação e carimbou a classificação do Atlético-MG à semifinal da Copa do Brasil.

– Temos pecado nesse último passe. Diante de uma grande equipe, a oportunidade que tivermos temos que tentar matar, para mudar o jogo e fazer a equipe adversária correr atrás do placar – afirmou o treinador.

Raphael Klaus marcou pênalti de Danilo Barcelos após consultar o lance no VAR (Foto: Pedro Souza/Atlético-MG)

Outra dor de cabeça do Fluminense na temporada são os pênaltis. Em 2021, já foram 15 penalidades cometidas em 51 jogos – e apenas uma defendida. O goleiro Marcos Felipe tem sido alvo de críticas pela dificuldade de enfrentar os adversários na marca da cal. O alto número de infrações, no entanto, chama a atenção e ligou um alerta.

– Já pedimos aos nossos analistas para pegarmos todos os lances para chegarmos a um denominador comum e saber o que está acontecendo, para que não possa acontecer mais – disse Marcão.

Eliminado da Libertadores e Copa do Brasil, restou somente o Brasileirão para o Fluminense focar até o fim da temporada. Invicto nos últimos cinco jogos – todos desde que Marcão assumiu o comando – o Flu se afastou da zona do rebaixamento e entrou na briga pelo G-6. O Tricolor volta a campo na próxima segunda-feira, às 20h, contra o Cuiabá, na Arena Pantanal, pela 21ª rodada.

Futebol