PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Zagueiros resolvem, Atlético vence por 2 a 0 e complica Juve na Champions

20/02/2019 19h15

Madri, 20 fev (EFE).- No reencontro da torcida 'colchonera' com Cristiano Ronaldo, um de seus maiores carrascos nos últimos anos, o Atlético de Madrid contou com dois gols de zagueiros uruguaios para vencer a Juventus por 2 a 0 no estádio Wanda Metropolitano, na capital espanhola, e se aproximar das quartas de final da Liga dos Campeões.

As atenções estavam voltadas para os badalados atacantes, principalmente para Cristiano, que vinha de 22 gols marcados contra o Atlético em 29 partidas, todas com a camisa do Real Madrid, e Griezmann, principal esperança dos donos da casa.

Entretanto, os homens decisivos foram Giménez e Godín. Os integrantes da dupla de zaga do time 'rojiblanco' e da seleção do Uruguai marcaram um gol cada e colocaram o atual campeão da Liga Europa em grande vantagem. Isso porque os comandados de Diego Simeone poderão perder até por dois de diferença na volta, em 12 de março, em Turim, para se classificarem, desde que balancem a rede.

A 'Velha Senhora', que sonha quebrar um jejum de 23 anos sem títulos da Champions e investiu pesado para isso, apostando inclusive na contratação de Cristiano, precisará vencer por três gols de frente ou devolver o 2 a 0 e tentar resolver na prorrogação.

Hoje, o craque português apareceu mais por polêmica que por futebol. Lembrado pelos gols que fez contra a equipe anfitriã nos tempos de Real e por ter vencido duas finais de Liga dos Campeões contra os 'Colchoneros', o camisa 7 foi bastante vaiado e respondeu mostrando o número cinco com a mão, provavelmente em alusão a seus cinco títulos continentais ou às cinco vezes em que foi eleito melhor do mundo.

A grande novidade no Atlético para o jogo em Madri foi a presença do atacante Diego Costa entre os titulares. No último sábado, na vitória sobre o Rayo Vallecano por 1 a 0 pelo Campeonato Espanhol, o sergipano entrou em campo pela primeira vez em mais de dois meses, após ter se recuperado de uma cirurgia no quinto metatarso do pé esquerdo.

A única baixa, então, foi o lateral-esquerdo Lucas Hernández, afastado devido a um estiramento no joelho direito. Com isso, o titular da posição foi Filipe Luís, da seleção brasileira.

Na Juve, os meia-atacantes Juan Cuadrado e Douglas Costa, lesionados, já eram ausências confirmadas previamente. Depois, a lista de desfalques ganhou o nome do volante Khedira, que hoje passou por cirurgia devido a uma arritmia cardíaca.

A partida já começou catimbada, e uma falta sofrida por Cristiano Ronaldo aos cinco minutos de bola rolando foi cobrada apenas aos oito, com direito a cartão amarelo para Diego Costa por não respeitar a distância da barreira. O próprio Cristiano cobrou com veneno, mas no meio do gol, e Oblak espalmou para fora.

A Juve voltou a incomodar aos 11, em cobrança de escanteio de Pjanic. Bonucci apareceu com liberdade para cabecear e errou o alvo por centímetros. O Atlético respondeu aos 14, com Partey, que pegou sobra na entrada da área e obrigou Szczesny a fazer boa defesa firme.

O VAR, que está sendo usado na Champions a partir das oitavas de final desta edição, corrigiu um erro do árbitro Felix Zwayer aos 26 minutos. De Sciglio, aposta de Allegri por um time um pouco mais defensivo em detrimento de Cancelo, tropeçou e derrubou Diego Costa. O árbitro alemão marcou pênalti, mas depois voltou atrás e deu falta fora da área, Griezmann bateu com efeito e Szczesny salvou.

No terço final do primeiro tempo, a partida ficou mais amarrada, e houve apenas mais uma finalização de certo perigo. Dybala dominou com algum espaço na intermediária, ajeitou para o pé esquerdo e bateu por baixo. Oblak encaixou.

A segunda etapa começou com dois lances muito perigosos do ataque 'colchonero'. Aos quatro minutos, Diego Costa disputou na corrida com Bonucci, se colocou à frente e protegeu com o corpo, mas pegou muito mal na bola. Na sequência, aos sete, Griezmann tentou por cobertura, o goleiro sa Juve desviou levemente e a bola beijou o travessão, mas não entrou.

Diego Simeone mexeu bastante no Atlético, e pouco depois dos 20 minutos já havia feito as três substituições. Lemar e Correa substituíram Partey e Koke, respectivamente, enquanto Morata entrou no lugar de Diego Costa para tentar fazer valer a chamada lei do ex. O centroavante, que vestiu a camisa 'bianconera' de 2014 a 2016, balançou a rede aos 24 minutos, em cabeceio depois de cruzamento de Filipe Luís, mas o VAR entrou em ação para marcar um empurrão do camisa 22 em Chiellini antes da finalização.

A pressão dos donos da casa aumentou, e o prêmio pelo esforço veio aos 32. Lemar cobrou escanteio pela esquerda, Morata ganhou de Alex Sandro no alto e cabeceou. A defesa do time visitante bloqueou, mas a bola ficou viva na área e Giménez chutou no cantinho direito para fazer 1 a 0. Como forma de extravasar, Simeone se empolgou e põs as mãos ao redor da genitália durante a comemoração.

Embalado pela euforia do gol e pelos gritos vindos da arquibancada, o time madrilenho aumentou a diferença aos 37. Griezmann fez o chuveirinho da direita em cobrança de falta pela direita, Godín desviou de cabeça e Mandzukic interceptou. Na sobra, o próprio zagueiro uruguaio chutou e contou com leve desvio em Cristiano Ronaldo para marcar o segundo.

Ciente do enorme prejuízo de perder sem marcar gols como visitante, a Juventus foi para cima nos instantes finais e esteve perto de diminuir duas vezes, mas não conseguiu. Aos 44 minutos, Cristiano rolou para Bentancur em cobrança de falta e o esloveno Oblak operou um milagre. Aos 47, o uruguaio devolveu a gentileza e levantou para o português, que cabeceou por cima.

Ficha técnica:.

Atlético de Madrid: Oblak; Juanfran, Giménez, Godín e Filipe Luís; Partey (Lemar), Saúl, Rodri e Koke (Correa); Griezmann e Diego Costa (Morata). Técnico: Diego Simeone.

Juventus: Szczesny; De Sciglio, Bonucci, Chiellini e Alex Sandro; Bentancur, Pjanic (Can), Matuidi (Cancelo) e Dybala (Bernadeschi); Mandzukic e Cristiano Ronaldo. Técnico: Massimiliano Allegri.

Árbitro: Felix Zwayer (Alemanha), auxiliado pelos compatriotas Thorsten Schiffner e Marco Achmüller.

Cartões amarelos: Diego Costa, Partey e Griezmann (Atlético de Madrid); Alex Sandro (Juventus).

Gols: Giménez e Godín (Atlético de Madrid).

Estádio: Wanda Metropolitano, em Madri (Espanha). EFE

Esporte