Topo

Esporte


Felipe França registra queixa-crime contra Joanna; nadadora aciona Justiça

Joanna Maranhão e Felipe França - Reprodução/Danilo Verpa/Folhapress
Joanna Maranhão e Felipe França Imagem: Reprodução/Danilo Verpa/Folhapress

Bruno Thadeu

Colaboração para o UOL, em São Paulo

03/05/2019 12h01

O bate-boca na web entre os nadadores Felipe França e Joanna Maranhão, ocorrido em 20 de março, ganhou desdobramentos nas esferas policial e judicial. O nadador paulista registrou queixa-crime contra a nadadora pernambucana. Joanna Maranhão, por sua vez, informou ao UOL Esporte que deu entrada para acionar Felipe França na Justiça.

No documento lavrado por Felipe na polícia, o nadador acusa Joanna de ofendê-lo moralmente nas redes sociais.

Um dos trechos do Boletim de Ocorrência é relatado da seguinte forma: "[Felipe França] Recebeu por meio das redes sociais - Twitter de diversas ofensas da autora Joanna Maranhão, a qual conhece desde a juventude, e o motivo de tais ofensas a sua honra foi porque a vítima teria feito um comentário na área de esporte, ocasião em que a autora o xingou falando 'vai tomar no cu, burro, filho da puta', entre outros".

Na queixa-crime registrada, o nadador acusou Joanna de desrespeitar sua religião.

"Também afirma que a autora [Joanna] ofendeu sua religião a qual é evangélica dizendo: 'que adianta pedir empatia e compreensão de evangélico fundamentalista que mal sabe escrever português?'. 'Não me dirige a palavra e vai a merda'", apresenta o Boletim de Ocorrência.

No processo foi anexado um relato de Felipe à polícia: "Poderíamos ter uma discussão que ficaria no ambiente das diferenças de ideias, mas, infelizmente, a Joanna foi para um lado pejorativo para minha pessoa. Me ofendeu, me caluniou, me xingou de palavras de baixo calão, denegriu minha imagem, minha crença".

A polícia abriu inquérito para investigar o relato feito por Felipe. A delegada que investiga o caso, Cintia Pegorin, do 95º DP de Ipiranga, em São Paulo, pediu à Justiça a prorrogação do tempo para conclusão dos autos. O caso, portanto, segue com a polícia. Posteriormente, o inquérito será entregue à Justiça.

Ao UOL Esporte, Joanna disse não ter sido notificada. Ela acusou Felipe de fazer menção indireta a um trauma da nadadora - ela foi vítima de abuso sexual na infância cometido por um então professor de natação.

"Tem muita gente que acha que eu menti [denúncia de abuso sexual]. Acha que eu inventei. Não sei o que o [Felipe] França pensa em relação a isso. Só sei que nesta ferida ninguém bota mais o dedo, porque foi uma ferida que demorou muitos anos para cicatrizar. Então não permito que ninguém toque nesse assunto", comentou Joanna.

"Se ele [Felipe] se achou lesado, eu também me senti lesada. E aí a gente resolve isso", acrescentou a nadadora, que está grávida de seis meses.

Consultados pela reportagem, Felipe e sua advogada preferiram não dar mais detalhes do processo.

Entenda o caso

Em 20 de março, Joanna e Felipe trocaram farpas no Twitter após a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos aprovar provas de 50m nos estilos para os Campeonatos Brasileiros Infantil de Inverno e Verão de natação.

Assim que a decisão foi anunciada, Joanna definiu como "pior decisão possível". "Incentivo a provas não olímpicas e especialização precoce (um de nossos maiores problemas). Qual país estimula isso na base? Nenhum", escreveu.

Na sequência, uma seguidora usou de ironia para concordar com Joanna, mas França entendeu que ela estava contrária à posição da nadadora. E a partir daí os dois começaram a se atacar nas redes.

"Para isso eles não têm resposta, né? Que pena. Acredito que precise ter tudo sim. A maioria de medalha em mundiais é nas provas de 50 metros. Em vez de ajudarem, essas pessoas [que criticam] só atrapalham", escreveu o nadador, que foi rebatido por Joanna.

"Ah, França, tu és tão burro que não entende que o 'método sumida' [seguidora que fez a postagem] estava concordando comigo. Tu és incapaz de desenvolver um raciocínio lógico, quanto mais entender o que é bom para natação a longo prazo", escreveu Joanna.

França, então, fez um comentário que irritou Joanna, criticando a ida da nadadora ao programa Dancing Brasil, da Record, apresentado por Xuxa. "E você entende o que é bom para natação a longo prazo? Para acabar que nem você, de atleta que é contra pedofilia foi parar no programa da Xuxa, que quando mais nova fazia atos sexuais com crianças. Me poupe, Joanna, para de xingar os outros e cuida da sua família um pouco".

"França, vai tomar no c... Tu és burro e um filho da p... de marca maior. Xuxa foi abusada na infância. Mas do que adianta pedir empatia e compreensão de evangélico fundamentalista que mal sabe escrever português? Não me dirija a palavra e vá à merda. Não se meta no meu trabalho", escreveu Joanna, sendo respondida pela última vez por França.

"Não sei se é você mesma ou uma assessoria escrevendo por você, Joanna. Mas é deste jeito que você quer que seja o futuro da natação? Todos com boca suja e mal-educados? Com certeza não será e eu não vou deixar", completou França.

Mais Esporte