PUBLICIDADE
Topo

Fim do boicote. Por Mandela, Serena perdoa racismo e volta a Indian Wells

Tenista norte-americana não atua no torneio há 13 anos  - AP Photo/Aaron Favila
Tenista norte-americana não atua no torneio há 13 anos Imagem: AP Photo/Aaron Favila

Da Reuters, nos Estados Unidos

22/01/2014 21h27

13 anos. Esse é o tempo de boicote de Serena e Venus Williams ao torneio de Indian Wells, nos Estados Unidos. No entanto, tudo está prestes a mudar. Nesta quarta-feira, Serena teve seu nome inscrito na competição deste ano e pode colocar fim ao protesto.

A mudança na postura da número 1 do mundo aconteceu após ela assistir ao filme “Mandela: Longa caminhada para a liberdade”, que conta a trajetória do líder sul-africano, que morreu em dezembro de 2013.

Emocionada com a história de Nelson Mandela e como ele conseguiu lutar contra a segregação racial, Serena decidiu retornar ao torneio após mais de uma década.

“Isso passou pela minha mente há alguns dias, após eu ver o filme”, disse a número 1 do mundo antes de ser eliminada no Aberto da Austrália nesta semana. “Mandela foi um grande homem. Eu me sinto honrada de ter tido a chance de conhece-lo e conhecer melhor a sua história.”

O boicote das Williams a Indian Wells aconteceu em 2001. Venus desistiu de enfrentar a irmã minutos antes de uma das semifinais. A situação fez Serena ser muito vaiada pelo público. O pai das tenistas, Richard Williams, afirmou ter escutado insultos racistas contra as filhas e, desde então, nenhuma delas voltou ao torneio. 

Mesmo inscrita, Serena ainda pode jogar ou não a competição. Mas só de se inscrever, a norte-americana animou os organizadores do torneio. 

"Ainda é cedo para saber se ela vai atuar ou não. Mas estamos felizes em ver o nome de Serena na lista de inscrição", disse o diretor da competição, Steve Simon. 

 

 

Esporte