PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Surfista que provocou acidente que matou sargento é solto; CNH é suspensa

Surfista Felipe Cesarano, o Felipe Gordo, causou acidente com morte de um sargento da Marinha - Reprodução/Instagram
Surfista Felipe Cesarano, o Felipe Gordo, causou acidente com morte de um sargento da Marinha Imagem: Reprodução/Instagram

Marcela Lemos

Colaboração para o UOL, no Rio de Janeiro

17/12/2020 20h39

O surfista de ondas grandes Felipe Cesarano, preso após causar um acidente que matou um militar da Marinha, na manhã de ontem, vai responder em liberdade. A decisão é do juiz Alex Quaresma, responsável pela audiência de custódia que ocorreu na tarde de hoje.

Na decisão, o magistrado destacou que o atleta é suspeito de homicídio culposo, "delito que não está inserido no rol dos crimes que admitem a prisão preventiva. Cabe ressaltar que ainda não é conhecida a dinâmica do evento. Nesta fase embrionária, em que sequer está concluída a perícia do local requisitada, não é possível presumir o dolo eventual. Ademais, o custodiado é primário, sem nenhuma anotação".

Apesar da liberdade provisória concedida pela Justiça, o surfista terá que cumprir medidas cautelares como o comparecimento mensal ao juízo. Cesarano também está proibido de frequentar bares, casas noturnas e quaisquer locais onde sejam vendidas bebidas alcoólicas para consumo imediato.

Ele também teve o direito de dirigir veículo automotor suspenso.

Preso em flagrante

Cesarano foi preso em flagrante na manhã de ontem, após provocar um acidente. De acordo com informações preliminares, ele perdeu a direção do veículo, invadiu a pista contrária da Autoestrada Lagoa-Barra, na zona sul do Rio, e atingiu outro carro que estava na direção oposta.

O motorista do outro veículo morreu no local. Diego da Silva, 36, era sargento da Marinha e estava em um carro oficial do órgão. Já o surfista, teve apenas ferimentos leves.

A PM foi acionada para o local e conduziu Cesarano para a delegacia onde ele foi autuado por homicídio culposo. O exame de alcoolemia deu positivo para embriaguez, segundo informações da Polícia Civil do Rio.

De acordo com a TV Globo, o laudo do exame destacou que o surfista ria durante a realização do atendimento e falava de forma repetitiva e confusa.

Questionado pelo perito, o atleta informou que estava em uma boate por volta de 5h e tinha consciência que estava no IML (Instituto Médico Legal) no momento do exame, mas afirmou que não sabia o motivo.

O surfista

O surfista Felipe Gordo, como é conhecido, é um dos maiores big riders (surfistas de ondas grandes) do mundo. Ele apareceu no filme "Jurassic World: Reino Ameaçado" sendo engolido por um dinossauro durante uma de suas ondas.

O filme, exibido no Brasil em 2018, mostra a onda surfada por Gordo em Jaws, na Ilha de Maui, no Havaí, em 2016.

Ele soube que estava nas imagens pelo amigo, também surfista Pedro Scooby. O atleta é conhecido também por pegar ondas gigantes em Nazaré, cidade de Portugal famosa por esse tipo de formação.

Marinha acompanha o caso

Procurada, a Marinha do Brasil informou que Diego da Silva era sargento e servia no Navio de Desembarque de Carros de Combate (NDCC) Mattoso Maia. Diego estava a serviço da Marinha em um carro oficial do órgão quando o acidente ocorreu.

Em nota, a Marinha disse que "uma sindicância foi aberta para esclarecer as causas e circunstâncias do acidente". "A Marinha do Brasil lamenta o ocorrido e está prestando todo apoio necessário referente à assistência social, psicológica e religiosa aos familiares do militar", concluiu em nota.

Esporte