PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Provocações para ex-jogadores e jejum em casa: Veja as reações dos torcedores na derrota do Santos

02/07/2022 21h09


Neste sábado (02), o Santos recebeu, na Vila Belmiro, o Flamengo e acabou perdendo, em confronto válido pelo Brasileirão, por 2 a 1. Com isso, o Peixe caiu para a 8ª colocação da competição. Em jogo de reencontros de ex-jogadores do Santos com a antiga torcida, os xingamentos e provocações foram marcantes na atmosfera da partida.


Antes da bola rolar, um clima de hostilidade já se instaurava na Vila Belmiro. Os ex-jogadores do Peixe Thiago Maia, Gustavo Henrique e Diego Ribas sofreram com algumas vaias no aquecimento. Todavia, não chegaram a receber tantos xingamentos do torcedor santista quanto Gabigol e Marinho, que tiveram que aguentar até músicas de provocação

Quando a bola começou a rolar, as ofensas que vinham na arquibancada não cessaram, bastava apenas um toque na bola dos antigos atletas do Santos para os insultos surgirem. Inclusive, a torcida da equipe paulista vibrava mais do que nunca quando roubavam uma bola ou cometiam falta no Marinho.

Ao balançar as redes com Pedro, os torcedores do Flamengo ficaram, por um curto período, comandando os cantos entoados no estádio, enquanto a impaciência dos santistas sobressaia nos erros individuais dos atletas da equipe da casa.

Com a vinda do intervalo, as vaias dos presentes na Vila Belmiro para a atuação do Santos foi praticamente unanimidade. Poucos foram aqueles que aplaudiram para tentar motivar os jogadores

No retorno para o segundo tempo, a torcida estava desconfiada se uma mudança de postura aconteceria no time mandante. Porém, logo com o gol de Zanocelo, o grito de "time da virada" inflamou o estádio. E, como resposta rápida do técnico Dorival Júnior, Gabigol entrou no gramado.

A entrada de Gabriel Barbosa no jogo causou um tumulto generalizado na Vila Belmiro. O atacante trouxe esperança para a torcida flamenguista e os mais variados xingamentos dos adeptos da equipe alvinegra. Com o gol marcado pelo camisa 9 do time carioca, o jogador não hesitou em colocar a mão na orelha para devolver a provocação.

O Santos bem que tentou igualar o marcador, mas as ações não obtiveram sucesso e o apito final chegou. Gritos pedindo para os jogadores honrarem a camisa do clube foram ecoados no estádio e algumas faixas com os dizeres "Viemos pela camisa, não por vocês" foram estendidas.

Agora, o Santos foca no próximo compromisso, o confronto de volta, pela Copa Sul-Americana, contra o Deportivo Táchira, nesta próxima quarta-feira.

Futebol