PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Honda demonstra preocupação com educação dos jovens do Botafogo: 'Você nunca perde o conhecimento'

07/08/2020 15h11

Quando não encara o forte do calor do Rio de Janeiro nos treinamentos do Botafogo, no Estádio Nilton Santos, Keisuke Honda trabalha com projetos paralelos. Recentemente, o meio-campista abriu uma escola online no Japão para crianças e adolescentes de 12 a 18 anos com o custo de 1 dólar (R$ 5,42, na cotação atual) por mês.

A educação é algo levado a sério pelo japonês. No clube de General Severiano, o camisa 4 tenta conversar com os jogadores mais jovens sobre adquirir conhecimento além do futebol. Em entrevista realizada à "BotafogoTV", publicada nesta sexta-feira, Honda explicou o motivo de achar a valorização da educação tão importante.

- O que aprendi quando penso em educação é tentar se comunicar com os mais jovens. Gosto de falar com os jogadores, educar os jogadores mais jovens e as crianças. O bonito da educação é que, uma vez que você ganha uma habilidade ou conhecimento, você nunca perde em sua vida. As coisas que você aprende sempre o ajudam. São úteis. Claro que o dinheiro, ou qualquer outro bem material, você irá perder caso aja errado. Mas você nunca perde habilidade, conhecimento e competências. Por isso educação é tão bonito e quero que todos tenham educação de alta qualidade, não importa onde você nasceu, quanto dinheiro tenha. Toda criança deveria ter educação de alta qualidade, por isso que me preocupo - afirmou.

No meio da pandemia do novo coronavírus, Keisuke Honda afirmou que refletiu sobre a vida durante o período de quarentena. O meio-campista considerou as questões de trabalhadores no Brasil. Na opinião do japonês, o momento é de paciência.

- Tenho pensando em muitas coisas durante essa pandemia porque não acho que alguém esperava que isso fosse acontecer. Tivemos tempo suficiente para pensar o que é a nossa vida, porque os governos. A maioria dos governos proibiu as pessoas de andar. Tiveram que ficar em casa. E, ainda, em alguns países pessoas ficaram em casa, mas por outro lado tinham que trabalhar para ganhar dinheiro e sobreviver. Então ninguém quer perder a vida por causa desse vírus louco. Mas, ao mesmo tempo, tem que ganhar dinheiro. Devem trabalhar pensando em suas famílias. Isso é muito incomum. Mas, estou triste, sabe, muitas pessoas morreram por causa dessa doença, e ainda continua. Ninguém consegue encontrar uma solução melhor neste momento. Esse é o problema. Temos que ser pacientes para enfrentar o coronavírus por um bom tempo. Não acho que vamos resolver esse problema agora. Temos que ser pacientes - declarou.

Futebol