PUBLICIDADE
Topo

Com quinze títulos no currículo, Newton Drummond relembra 'momento mágico' no Internacional

09/07/2020 19h13

Um dos dirigentes mais vitoriosos do Brasil, Newton Drummond fez história no período em que foi executivo de futebol do Internacional. Nos nove anos em que esteve no Beira-Rio, não ficou um ano sem títulos: sete estaduais (2002/03/04/05/08/09/11), duas Libertadores (2006/2010), um Mundial Interclubes (2006), duas Recopas Sul-Americana (2007/2011), uma Copa Sul-Americana e uma Dubai Cup (2008) e uma Suruga Bank (2009).

Contudo, poucos se lembram que esse momento 'mágico' do Internacional foi obtido após um momento conturbado. Com recursos financeiros escassos, o clube se livrou do rebaixamento no Campeonato Brasileiro em 2002. A partir do ano seguinte, com um planejamento aprofundado e união de jovens promissores com nomes experientes, o sucesso começou a ser trilhado. Na opinião de Newton, alguns aspectos foram fundamentais para essa mudança.

- Com o trabalho conjunto de todos, conseguimos contornar algumas situações emergenciais. O clube passava por sérios problemas financeiros e isso foi corrigido para o ano de 2003. Sabíamos, até pela pressão regional, que isso tinha que ser mudado imediatamente. Esse era o ponto de partida para vislumbrar conquistas no futuro. Promovemos jovens muito promissores da nossa base e os colocamos ao lado de jogadores experientes. Até aquele momento, o Grêmio ganhava praticamente todos os clássicos. A partir daí, tudo começou a mudar - disse.

O dirigente recordou um episódio com um dos treinadores mais vencedores do futebol brasileiro e aproveitou a oportunidade para relembrar um forte pilar de seu trabalho.

- Formamos uma equipe muito unida e competente. Me lembro muito bem de uma situação em que estávamos sentados em uma mesa, eu, Muricy Ramalho e o Tata (auxiliar). Estávamos discutindo nomes que correspondiam ao momento específico do Internacional. Não bastava ser apenas um bom jogador e sim um profissional que tivesse o perfil do clube naquela ocasião. O atleta que está sendo contratado, precisa entender a filosofia e conceito do clube. Tínhamos o planejamento interno de tentar colocar o clube como o melhor da América no ano de 2009, mas conseguimos esse feito três anos antes - disse.

Analisando algumas propostas de mercado, Newton Drummond enfatizou a necessidade de interação com as mudanças que o futebol apresenta ao profissional.

- Assim como em todos os segmentos, o executivo de futebol precisa estar atento a tudo que vem acontecendo. Estou analisando algumas possibilidades e procuro sempre me atualizar. Hoje, existem plataformas que fornecem dados de atletas que atuam em diversos países, o que permite uma análise mais precisa. Essas ferramentas, entre outros requisitos, são fundamentais para uma equipe competitiva - encerrou.

Futebol