PUBLICIDADE
Topo

Futebol


Sampaoli quer ficar no Brasil, ensaia adeus ao Santos e Palmeiras se anima

07/12/2019 09h00

Jorge Sampaoli ainda não definiu qual clube comandará em 2020, mas deseja permanecer no Brasil na temporada que vem. O técnico do Santos é o principal alvo do Palmeiras para substituir Mano Menezes, demitido no último domingo. Enquanto o Peixe trabalha pelo "fico" do comandante, o Verdão se anima após o primeiro contato com o estafe do argentino.

O futuro do treinador tem sido um "filme", como ele mesmo definiu em sua última entrevista ao ser perguntado sobre especulações. Atritos com o presidente José Carlos Peres, além da saída do superintendente de futebol Paulo Autuori, fizeram com que Sampaoli passasse a cogitar a saída do Santos, ainda que seu contrato tenha validade por mais uma temporada. A princípio, há uma multa de R$ 10 milhões, mas existe a possibilidade de ele deixar o clube em dezembro sem ter de pagar a quantia.

A diretoria alvinegra trabalha por meio de William Thomas, substituto de Autuori, para convencer o argentino a não deixar a Baixada Santista. O problema é que já se sabe que o Peixe não poderá fazer muitos investimentos em contratações para a temporada que vem.

Ao mesmo tempo, membros da cúpula do Palmeiras se encontraram na quinta-feira com representantes de Jorge Sampaoli, que mostraram interesse em um vínculo de dois anos, além de salário de R$ 1,7 milhão por mês para toda comissão técnica - ele tem no Santos dois auxiliares e dois preparadores físicos.

O Racing (ARG) é outro interessado, pois Eduardo Coudet acertou com o Internacional. A vontade de Sampaoli continuar no Brasil, porém, faz com que o clube argentino esteja atrás na disputa com os dois paulistas.

Não haverá uma definição até domingo, quando ocorre a rodada final do Campeonato Brasileiro - Santos e Palmeiras, inclusive, disputam a segunda colocação. Sampaoli já disse que a primeira pessoa com quem conversará sobre o futuro será o presidente santista.

O Palmeiras, enquanto isso, adotou o silêncio e evita repercutir o desenrolar das conversas com o estafe do treinador. Ele é o principal alvo e praticamente a única opção viável para reaproximar a torcida e fazer uma equipe com estilo de jogo mais ofensivo depois de trabalhos pragmáticos.

Aos 59 anos de idade, Sampaoli conseguiu resgatar no Santos a reputação atrapalhada pela campanha ruim com a Argentina na Copa do Mundo de 2018. Antes, havia sido campeão pela Universidad de Chile e pela seleção chilena, com a qual conquistou a Copa América, de 2015.

Futebol