Topo

Futebol


Guarani derrota o Operário e se afasta do Z4 da Série B

16/11/2019 18h34

Na reta final do Campeonato Brasileiro da Série B, Guarani e Operário-PR entraram em campo neste sábado, no estádio Brinco de Ouro, em Campinas, em partida válida pela 36ª rodada.

Conquistando um importante resultado, graças a um gol de pênalti Diego Cardoso, além de ter se segurado com um menos após a expulsão de Marcelo, a equipe comandada por Thiago Carpini chegou aos 44 pontos, alcançando a 11ª posição, se distanciando do Z4 da competição. Sendo assim, em caso de uma derrota ou empate por parte do Londrina, que jogará na rodada contra o Botafogo-SP, o Bugre se livrará de vez do rebaixamento.

Já a equipe comandada por Gerson Gusmão acabou permanecendo na 9ª colocação, com 49 pontos. Porém, poderá descer um degrau em caso de uma vitória do Botafogo-SP.

Primeiro tempo

Com um início mais movimentado, a equipe do Operário, mesmo cumprindo tabela na competição, não quis dar chances ao Guarani. Sendo assim, antes mesmo dos 10 minutos, os paranaenses, com Índio, Rafael Chorão e Marcelo, perderam grandes chances de inaugurar o placar no Brinco, para lamentação dos atletas.

Mas o Bugre não queria saber de apenas defender-se. Com isso, aos 11 minutos, Arthur, sem marcação, acabou pegando de primeira, mas o goleiro Rodrigo Viana conseguiu evitar o que seria o tento do adversário.

Após os momentos de pressão, o ritmo da partida passou a ficar mais tranquilo. No entanto, os donos da casa passaram a ficar mais com a posse de bola, além de tomar mais as ações.

Sendo assim, aos 32 minutos, o árbitro acabou marcando um pênalti a favor do time de Campinas, após toque André Luiz, que, por sua vez, havia entrado minutos antes no lugar de Rodrigo, na perna de Rondinely. Na cobrança, o atacante Diego Cardoso, apesar do esforço do camisa 12, converteu. 1 a 0.

Após seu gol, a equipe do Guarani, na reta final de primeiro tempo, por pouco não aumentou sua vantagem. Após levantamento do lateral Thallyson, o zagueiro Luiz Gustavo chegou a cabecear com perigo, mas o goleiro André Luiz conseguiu fazer um bonita defesa.

O Operário, por sua vez, ainda conseguiu chegar no campo de defesa adversário. Tentando aproveitar o cruzamento, o meia Felipe Augusto chegou a se esticar, mas o goleiro Jefferson Paulino conseguiu ficar com a bola, sendo esse o último lance de mais intensidade antes do apito final do árbitro.

Segundo tempo

Com ambos os times sem alterações na volta, a equipe do Fantasma, passou a ficar com mais posse de bola no início. No entanto, não oferecia trabalho a Jefferson Paulino, mantendo o time da casa tranquilo.

Apostando unicamente nos contra-ataques, o Bugre, aos 14 minutos, acabou tendo uma baixa. Em jogada mais forte de Marcelo, que acertou a sola na altura da costela de Maílton, o volante acabou recebendo o cartão vermelho, que, logo em seguida, obrigou o técnico Thiago Carpini a substituir o atacante Davó para dar entrada a Deivid, recompondo a linha de meio-campo.

Sem perder tempo, os paranaenses logo partiram para cima. Aos 18, o próprio Maílton arriscou um bonito chute, mas o camisa 1 do time mandante acabou fazendo a defesa.

Percebendo a superioridade em campo, Gusmão optou por sua primeira troca no jogo. O volante Índio acabou sendo escolhido para deixar seu lugar ao atacante Felipe Alves.

Após a mudança, o treinador dos visitantes, não satisfeito ainda, optou por aumentar seu poder ofensivo. Desta vez, o escolhido foi Maílton para dar lugar ao atacante Eduardo.

Mesmo apostando todas as suas fichas em busca de um empate, o Operário não conseguia oferecer perigo ao time rival. Com isso, mesmo em pouco número, a torcida do Guarani apoiava o time em campo.

Na reta final de jogo, o técnico Carpini, tentando ganhar um tempo no relógio promoveu mais uma troca. Rondinelly acabou deixando seu lugar para Ricardinho, visando preencher mais o meio-campo.

Já nos acréscimos dados pela arbitragem, o OFEC não conseguiu superar a defesa bugrina, finalizando o confronto com vitória dos donos da casa por a 1 a 0.

Futebol