Topo

Na lateral do Santos, Diego Pituca iguala importância que tem como volante

Diego Pituca em partida do Santos contra o Vasco - Ivan Storti/Santos FC
Diego Pituca em partida do Santos contra o Vasco Imagem: Ivan Storti/Santos FC

21/04/2019 12h34

Nesta temporada, o Santos tem mostrado alguns destaques sob o comando de Jorge Sampaoli, como Jean Mota e Derlis González que, nos números estão alguns passos à frente dos companheiros. Mas não é só de gols e assistências, que o desempenho e os resultados são construídos, e é nesse aspecto que os personagens que menos aparecem fazem toda a diferença. Um deles, definitivamente, é o versátil Diego Pituca, cada vez mais essencial no time.

O volante, que iniciou a temporada dominando o meio-campo santista, atuando em praticamente todas as posições do setor, atualmente ocupa a lateral esquerda da equipe, onde passou a ser igualmente importante nas variações táticas do técnico argentino. Até aqui são três jogos na função e três vitórias santistas, todas sem levar gols.

A verdade é que a ideia de Jorge Sampaoli é que Pituca seja lateral apenas quando o Santos não tem a bola, e com dela ele volte a atuar no meio-campo, fortalecendo o setor tanto na retomada da posse, quanto no auxílio na troca de passes em busca de jogadas de gol. A versatilidade, a capacidade física e a qualidade na distribuição de jogo são as principais virtudes do atleta para realizar essas funções em um mesmo duelo.

Essa efetivação de Pituca acontece justamente quando o treinador argentino tem em seu elenco o tão sonhado lateral-esquerdo Jorge. Embora admire o futebol do recém-contratado, Sampaoli acredita que o polivalente meio-campista está em uma fase tão boa que não há como fazer mudanças neste momento. Assim, Felipe Jonatan terá de esperar sua vez também.

"Encontramos uma engrenagem com um lateral interno que nos dá muito controle na metade do campo, Diego se coloca muito por dentro e geramos muito controle de jogo com ele. Como lateral-esquerdo não teve nenhum inconveniente nas partidas que jogou. Não há motivo para mudar o que está indo bem. Sabemos da capacidade de Jorge, que se tem minutos, com a técnica que tem, pode chegar a ser um lateral de seleção, mas terá que esperar o seu momento, além de sua condição", analisou o comandante em coletiva após a vitória contra o Vasco, na última quarta-feira.

No início da temporada, a posição de lateral-esquerdo era considerada uma das mais carentes do elenco, ao lado da de centroavante. Nos últimos meses, essa carência foi suprida com a vinda de dois jogadores: Felipe Jonatan, ex-Ceará, e Jorge, que veio emprestado pelo Monaco.

Aparentemente, neste momento, a função foi ocupada por um jogador que não é do setor, mas que tem conseguido cumprir o que Sampaoli pede, além de abrir espaço para a escalação de mais jogadores de frente, como Soteldo, que vem sendo outro destaque da equipe. Em resumo, Diego Pituca parece ser indispensável no onze inicial e tem se encaixado onde é solicitado.