PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Santos diz ter pago R$ 36 milhões em dívidas de gestões passadas do clube

24/09/2018 16h27

O Santos divulgou nesta segunda-feira uma planilha na qual mostra todos as dívidas que foram quitadas em 2018 pelo presidente José Carlos Peres. No relatório, estão gastos datados até a gestão de Marcelo Teixeira, atualmente presidente do Conselho Deliberativo. Além dele, também foram apontados gastos deixados pelos ex-presidentes Odílio Rodrigues e Modesto Roma Júnior. Empresários, funcionários e ex-treinadores e atletas aparecem na lista de beneficiados com os pagamentos. O gasto total foi de R$ 36.156.096,00.

Marcelo Teixeira deixou uma dívida de R$ 840 mil da rescisão contratual do zagueiro Luiz Alberto, em 2006, além da rescisão de R$ 45 mil de Cristiano Aválos. Dentre as dívidas deixadas por Modesto, foram pagos mais de R$ 2 milhões em acordo com Robinho. Outros R$ 2 milhões de dívidas com o ex-técnico Dorival Júnior e outros R$ 2,2 milhões de direitos de imagens atrasados do elenco atual.

Outros R$ 8 milhões foram pagos ao empresário Giuliano Bertolucci e R$ 12 milhões para a empresa Bonassa Bucker. O clube alega que terá ainda de pagar mais de R$ 34 milhões para conseguir sanar a dívida de mais de R$ 70 milhões encontrada quando José Carlos Peres assumiu o clube.

Confira a nota oficial divulgada pelo clube:

Dando continuidade à transparência que rege a nossa gestão, o Santos FC divulga valores que o Clube teve que desembolsar durante os primeiros meses de 2018, que deveriam ter sido pagos por gestões anteriores.

Fomos muito criticados no início de nossa gestão, pela demora em contratações de atletas para fortalecer nosso elenco, porém encontramos o Clube com as contas zeradas, 13º salário de funcionários atrasados, impostos retidos e não pagos (apropriação indébita), imagem e premiação do elenco com mais de 6 meses de atraso.

Estamos colocando as contas em dia e não atrasando as contas geradas em nossa gestão. Dos mais de 70 milhões de reais que encontramos em atraso ao assumirmos o Clube, já liquidamos praticamente metade e seguimos trabalhando para um Santos FC sem dívidas.

Importante lembrar, que nesta gestão, o aumento de passivo que tivemos, não significa exatamente, um aumento de endividamento, e sim o registro contábil de receitas futuras.

Os custos e despesas gerados nesta gestão estão sendo pagos em dia. Anexo a relação dos valores pagos nesta gestão que pertencem a gestões passadas.

A tabela pode ser conferida no link: https://www.santosfc.com.br/santos-pagou-em-2018-mais-de-34-milhoes-atrasados-de-gestoes-passadas/

Esporte