PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Calejado contra o Santos, Zé Roberto topa "apostar corrida" com jovens

Zé Roberto não se assusta com velocidade do Santos - Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação
Zé Roberto não se assusta com velocidade do Santos Imagem: Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação

28/09/2017 18h56

Zé Roberto deve ser o substituto de Egídio, suspenso, no clássico deste sábado (30), contra o Santos. Aos 43 anos, o camisa 11 voltará a ser lateral esquerdo depois de entrar nos últimos jogos como meio-campista. Campeão brasileiro na função, o palmeirense se vê pronto para retornar ao time titular.

O jogador diz que não vê problemas em sair do meio-campo e disse que não enfrentará dificuldades para se adaptar.

"Essa mudança ela houve por alguns jogos eu ter jogado no meio. Foram jogos produtivos, a conversa que tive com Cuca é que ele queria me usar em alguns momentos ou dar continuidade no meio. Ele já me conhecia, fomos campeões e eu jogando na lateral. Ele quis fazer essa mudança. Eu acho que não mudam muita coisa, independente de ter jogado muitos no meio e estar treinando ali, porque a lateral é uma posição que sempre joguei. Claro que joguei mais no meio do que na lateral, mas não vejo nenhuma dificuldade, até porque já joguei muito. É mais automático. A gente teve uma semana cheia para trabalhar alguns aspectos", explicou.

Para facilitar à readaptação na lateral, Zé tem a seu favor o rival. O Santos tem entrado seguidamente no caminho do Verdão desde sua chegada, em 2015. O jogador até brinca que está disposto a apostar corrida se necessário.

"Tem dois anos que já venho jogando contra o Santos, não tem muito segredo porque é uma equipe que jogou muito veloz, muita posse de bola e com marcação mais baixa para sair no contra-ataque. É o que nós temos treinado a semana toda, e o que já conhecemos deles. Quando você joga com jogadores velozes, sendo mais experiente, às vezes não precisa correr com ele. Às vezes um posicionamento, uma conversa, já te ajuda. Mas como vivemos muito bem preparados fisicamente, se for para ir para a corrida, vamos. Muitas das vezes no jogo, você colocando experiência, consegue cortar uns atalhos. Isso é importante na minha longevidade", completou.

Com 43 pontos, o Palmeiras é o quarto colocado do Brasileiro, está a 11 do Corinthians, o líder, e a um do Santos, segundo colocado. De acordo com o matemático Tristão Garcia, o atual campeão tem 6% de chances de título. Zé acredita na possibilidade do bicampeonato brasileiro.

"É natural você despertar o torcedor, de novo, para uma conquista. O time está fazendo o dever de casa no sentido de busca. Se continuarmos assim temos totais condições de chegar além daquilo que nós estávamos esperando. Mas o importante foi conseguir virar esse quadro, onde todos davam como temporada perdida para nós", encerrou.

Esporte