PUBLICIDADE
Topo

Futebol

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Trajano: Robinho sai pela porta dos fundos como jogador e como cidadão

Do UOL, em São Paulo

19/01/2022 11h05

O atacante Robinho foi condenado hoje (19), na última instância na Justiça italiana, a nove anos de prisão por violência sexual em grupo contra uma mulher albanesa em uma boate de Milão, em 2013. Ele teve condenações em primeira e segunda instâncias, assim como Ricardo Falco, ambos a nove anos de prisão, mas a sentença a ser divulgada hoje é definitiva.

No UOL News Esporte, José Trajano chama a atenção para atletas que estão defendendo o jogador brasileiro, cita as instâncias anteriores e a gravidade de um estupro como motivos, alegando que Robinho deve ter uma pena exemplar, assim como qualquer personalidade que venha a cometer o mesmo crime.

"O estupro é um crime muito violento e pior que as pessoas tomam a defesa, muitas vezes você vê nas redes sociais ex-jogadores tomando a defesa do Robinho, muita gente em defesa do Robinho e não tem nada disso, eu acho que o estupro é um crime muito violento e não importa quem cometeu, se foi um ministro de estado ou um jogador de futebol, uma personalidade importante, o Robinho tem que pagar pelo que fez", diz Trajano.

O jornalista cita também o fato de o Santos ter chegado a anunciar a contratação de Robinho entre a primeira e a segunda instâncias, mas desistiu devido à pressão da opinião pública e dos próprios patrocinadores do clube.

"Tem que haver (punição) e que seja exemplar. Agora, veja você, em meio a tudo isso, não sei se entre a primeira e a segunda instância, o Santos contratou o Robinho para jogar lá na Vila Belmiro, mas a pressão da sociedade foi tão grande que o Santos acabou voltando atrás. Ainda bem, só faltava ter feito um contrato com um jogador que está sendo condenado na Itália e certamente a condenação será mantida, muito difícil a coisa ser revertida", diz Trajano.

"De qualquer maneira temos que falar muito sobre isso, que sirva de exemplo, o estupro é um crime violento e que abala a vítima não só fisicamente como psicologicamente. Tomara que seja punido, não pode ficar impune diante de um crime violento como esse", completa.

Por fim, Trajano considera que a carreira de Robinho já estava encerrada e que ele não deve voltar a ter espaço no futebol, apontando que a ele sai do esporte pela porta dos fundos.

"Eu acho que a carreira já acabou faz tempo, mas como tem gente no futebol como aqueles dirigentes do Santos, que mesmo sabendo disso tudo, tentaram contratá-lo, a gente fica com uma pulga atrás da orelha, mas ele sai pela porta dos fundos não só como jogador, como cidadão", conclui.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol