PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Colunistas opinam: A seleção brasileira mostrou que há vida sem Neymar?

Neymar em atuação pela seleção brasileira - Buda Mendes/Getty Images
Neymar em atuação pela seleção brasileira Imagem: Buda Mendes/Getty Images

Do UOL, em São Paulo (SP)

17/11/2021 10h51

Classificação e Jogos

A seleção brasileira empatou em 0 a 0 contra a Argentina, ontem (16), pelas Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo do Qatar. Apesar de não ter saído com a vitória, a equipe do técnico Tite teve um bom desempenho mesmo com a ausência de dois dos seus principais jogadores: Neymar, que sentiu uma lesão, e Casemiro, que cumpriu suspensão.

O quarteto ofensivo titular da partida contra os argentinos foi formado por Lucas Paquetá, Raphinha, Vinícius Júnior e Matheus Cunha — nenhum deles tem mais do que 24 anos. E mesmo com pouca idade, eles mostraram personalidade e que podem ser o futuro do time brasileiro.

Diante da ausência não sentida de Neymar, o camisa 10 da seleção, e o bom desempenho coletivo dos jogadores que estiveram em campo, fizemos a seguinte pergunta aos colunistas do UOL Esporte: A seleção brasileira mostrou que há vida sem Neymar? Veja o que eles responderam:

Neymar ainda é um dos poucos nomes da Seleção capazes de atrapalhar o sono dos adversários, mas para isso precisa estar no auge da forma. O Brasil apresentou um pouco mais de versatilidade, com Matheus Cunha, Raphinha, Paquetá. O problema é o nível baixíssimo destas eliminatórias sul-americanas, o que deixa enorme incógnita sobre como o time enfrentará as seleções mais fortes do mundo, em 2022". Alicia Klein

Desde a Copa América 2019 isso está claro e Tite erra ao sacrificar tantos talentos para dar liberdade total ao seu camisa dez. É possível equilibrar o trabalho coletivo e a ascensão dos mais jovens, especialmente os campeões olímpicos, tem que reforçar essa convicção, ou ao menos a impressão deixada ontem, para o planejamento da Copa do Mundo". André Rocha

Uma seleção como a brasileira jamais pode ser refém de um único jogador. Mesmo assim, Neymar será sempre importante. O Brasil fez mais um bom jogo nas Eliminatórias, confirmando uma campanha que é muito boa (mesmo que com alguns jogos mais fracos - o que é natural)". Andrei Kampff

Já havia mostrado na Copa América que ganhou sem ele. Obviamente que dizer que ele não é necessário é uma bobagem. Mas fazê-lo ser mais do time e menos dele mesmo é imperioso, se é que é possível. E afastar o pai da Seleção será profilático". Juca Kfouri

Sim, há vida sem Neymar. Pois é uma seleção que compete. Sem Neymar, joga de forma mais coletiva. Mas obviamente perde talento e as condições ontem eram bem específicas. O jogo demandava mais tática e espírito do que técnica. Ontem, especialmente ontem, se bobear era melhor não ter Neymar do que tê-lo. Na maioria dos jogos, não é assim". Julio Gomes

Há vida sem Neymar, o que não quer dizer que se deva abrir mão dele, nosso principal jogador ainda que não esteja na melhor fase. O jogo com a seleção argentina serviu como teste para outras opções, mas Neymar segue sendo a melhor delas". Marluci Martins

Sim. Há vida sem Neymar. O futebol apresentado foi tão decepcionante quanto nos jogos com ele". Menon

A seleção precisa começar a se acostumar com a ausência de Neymar. Apesar do apelido, ele já não é mais um menino e a próxima Copa deve ser a sua última como protagonista do escrete canarinho. E o teste de ontem, diante da encardida e botinuda Argentina, foi ótimo para os meninos que estão pedindo passagem. Eles deram conta do recado e voltaram com moral do compromisso pelas Eliminatórias". Milton Neves

Apesar de ser o jogador brasileiro mais talentoso dos últimos tempos, Neymar já não tem carregado a seleção nas costas há um bom tempo. A boa atuação contra a Argentina apenas escancarou isso". Rafael Reis

Mostrou. E a tendência é a seleção depender cada vez menos de Neymar. Ricardo Perrone

Sim, dá para ter um bom rendimento sem Neymar e isso foi comprovado na partida contra a Argentina. Lucas Paquetá é uma boa opção para o setor. E gostaria de ver Claudinho nessa função também". Rodolfo Rodrigues

Há vida sem Neymar. Deve haver sempre! Mas ele segue sendo o jogador com maior potencial para desequilibrar, mesmo abaixo nos últimos meses. A montagem do time da Copa precisa considera esse capacidade dele". Rodrigo Coutinho

Futebol