PUBLICIDADE
Topo

Série B - 2021

Com dois gols de cabeça, Náutico busca empate com o Vasco nos Aflitos

Vinicius comemora gol do Náutico contra o Vasco pela Série B - Paulo Paiva/AGIF
Vinicius comemora gol do Náutico contra o Vasco pela Série B Imagem: Paulo Paiva/AGIF

Colaboração para o UOL, de São Paulo

24/10/2021 18h01Atualizada em 24/10/2021 18h27

Classificação e Jogos

A bola aérea foi salvadora para o Náutico na tarde de hoje (24) nos Aflitos. Após ver o Vasco largar na frente no primeiro tempo, o Timbu buscou o empate em 2 a 2 com dois gols de cabeça. A partida, válida pela 31ª rodada da Série B, contou com gols de Nenê e Cano pelo lado vascaíno e de Vinicius e Yago pelo lado alvirrubro.

O resultado não é bom para a ambição dos times. A vitória seria bem interessante tanto para Náutico quanto para Vasco se aproximarem do G4. O time recifense ficou com 45 pontos e permaneceu na nona colocação, enquanto o Gigante da Colina ficou com 47 e a mesma sexta colocação que tinha antes de a bola rolar.

Na quinta-feira (28), o Náutico viaja até o Rio Grande do Sul para enfrentar o Brasil de Pelotas. No dia seguinte, o Vasco recebe o CSA em São Januário.

Nenê comandou a largada

O Vasco conseguiu chegar aos dois gols no primeiro tempo muito por conta do talento de Nenê, que vem tendo ótimas atuações nessa passagem pelo Cruzmaltino. Foi o oportunismo dele que fez o Vasco abrir o placar, e ele ainda participou do lance do segundo gol com um belo toque de calcanhar.

Acorda, Zeca!

O lateral direito do Vasco estava na marcação nos lances que deram origem aos dois gols do Timbu e em ambas as jogadas permitiu que o jogador do Náutico subisse mais alto para balançar as redes.

Não foi só a bola aérea

O empate alcançado pelo Náutico não se justifica apenas pelo desempenho ruim que o Vasco apresenta nas bolas aéreas. Ainda que tenha falhado na saída de bola dos dois gols do Vasco, o time pernambucano teve mais volume de jogo, tanto em posse de bola quanto em finalizações, chegando a ter o dobro de oportunidades que o Cruzmaltino na partida.

Não podia dar uma brecha

O Náutico iniciou a partida fazendo boa pressão e não dando espaços para o time do Vasco. O esquema funcionava bem até os oito minutos de jogo, quando Rafael Ribeiro perdeu a bola na intermediária, deixando-a livre para Nenê encher o pé, bater de primeira e abrir o placar nos Aflitos.

Cano brilhando na finalização

Aos 18 minutos, o Vasco fez mais um belo gol em Recife. Após mais um erro de saída de bola, Nenê passou de calcanhar para Marquinhos Gabriel, responsável pelo cruzamento para Germán Cano. O argentino teve o trabalho de apenas empurrar para as redes.

Cano bobeando na marcação

Pouco depois ao gol, aos 26 minutos, Cano foi ao chão ao tentar acompanhar Hereda na marcação pelo lado direito. Assim, o lateral ficou livre para cruzar para a área. A bola encontrou Vinicius na segunda trave, que marcou de cabeça o primeiro do Timbu.

Só deu Náutico no começo do segundo tempo

O Náutico começou com tudo no segundo tempo. Primeiro em um quase gol contra de Castan, e depois em um chute de fora da área de Júnior Tavares. Aos 10, Yago mandou de primeira, e a bola passou bem próxima à trave.

Dois minutos depois, a sorte do Vasco acabou. Em uma cobrança de falta, Yago subiu sozinho e empatou a partida de cabeça.

FICHA TÉCNICA
NÁUTICO 2 x 2 VASCO

Competição: Campeonato Brasileiro Série B (31ª rodada)
Data: 24 de outubro de 2021, domingo
Hora: 16h00, de Brasília
Local: Estádio dos Aflitos, em Recife (PE)
Árbitro: Paulo Roberto Alves Junior (PR)
Assistentes: Bruno Boschilia e Victor Hugo Imazu dos Santos (ambos do PR)
VAR: Wagner Reway (PB)

Gols: Nenê (VAS) aos 8' do 1ºT; Germán Cano (VAS) aos 18' do 1º T; Vinicius (NAU) aos 25' do 1ºT; Yago (NAU) aos 13' do 1ºT
Cartões amarelos: Rafael Ribeiro, Matheus Jesus, Paiva e Jailson (Náutico); Nenê (Vasco)

Náutico: Anderson, Hereda (Jeferson), Yago, Rafael Ribeiro e Junior Dantas, Rhaldney (Paiva), Matheus Jesus e Jean Carlos, Vinicius, Jailson (Murilo) e Caio Dantas (Matheus Trindade). Técnico: Hélio dos Anjos

Vasco: Lucão, Zeca, Walber, Leandro Castán e Riquelme, Bruno Gomes, Nenê, Marquinhos Gabriel e Morato (Andrey), Gabriel Pec (Léo Jabá) e Cano. Técnico: Fernando Diniz