PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Lisca usa emoção para renascer e provocar reviravolta no Vasco

Lisca teve uma semana de troca de juras de amor com o Vasco - Vitor Brügger/Vasco
Lisca teve uma semana de troca de juras de amor com o Vasco Imagem: Vitor Brügger/Vasco

Do UOL, em São Paulo

26/07/2021 04h00

A primeira semana de trabalho de Lisca no Vasco foi intensa: uma recepção calorosa, com direito a uma carta de boas-vindas, juras de uma relação fiel e a reciprocidade do treinador. Em suas declarações após a primeira partida —goleada sobre o Guarani por 4 a 1—, ele valorizou a história do clube, ao citar personagens marcantes como Geovani, Romário e Juninho Pernambucano, e mostrou que vai usar de muita emoção para recolocá-lo na elite do futebol nacional.

"Tem esse negócio do doido que todo mundo fala, e o Vasco valorizou, abraçou essa doideira. Eu me senti muito acolhido, o pessoal do Vasco fez questão de mostrar que tu é bem-vindo aqui, a tua família, o teu trabalho. Senti que as pessoas estavam felizes com a minha chegada, foi o sentimento que tive", afirmou Lisca, já dando o tom de que vai tentar conquistar a torcida cruzmaltina com seu carisma.

"Agora eu chego num clube com a dimensão do Vasco, com essa torcida. Estou representando 9 milhões de pessoas. Não é brincadeira ser comandante de um clube com a história que o Vasco tem. É motivo de orgulho e de uma honra enorme. O Vasco realmente abriu as portas para mim."

Entre tantas juras de amor, uma delas chamou a atenção na primeira entrevista coletiva de Lisca. Ao ser questionado sobre o que fez para motivar os jogadores para sua primeira partida, com tempo para comandar apenas um treino, ele acionou um áudio gravado em seu smartphone. Era um dos cantos da torcida do Vasco parodiando a música Ana Júlia, da banda Los Hermanos, na voz da sambista Teresa Cristina, uma vascaína de coração.

Logo depois de cantar o refrão, ele emendou um comentário sobre as personalidades que são aficionadas pelo Gigante da Colina. "É lindo demais. Tem tanta personalidade vascaína. Chegou (esse vídeo) para mim anteontem e compartilhei com os jogadores. Toda vez que escuto eu me arrepio. Mas é de boa, não vai achar que é doideira, loucura. É a valorização de uma profissional que cata demais e é vascaína. Quem sabe a gente pode convidá-la para um dia cantar na concentração", sugeriu.

A própria cantora já se rendeu ao novo treinador do Vasco com uma postagem no Twitter no início da madrugada de domingo:

Pouco antes, a cantora já havia se manifestado pela lembrança de Lisca à sua interpretação em plena entrevista coletiva:

Renascimento do Doido

O trabalho emocional alinhavado por Lisca serve para a retomada do Vasco. Mas estar de volta a um clube de primeira grandeza também pode significar uma transformação para um treinador que já teve seu estilo contagiante e carismático tratado como folclórico. Para ele, o fato de comandar o Vasco lhe abriu uma oportunidade para retomar a carreira depois de ter deixado o América-MG há 45 dias.

"Eu me arrepiei, retomei aquela vontade de trabalhar, de sofrer, de não dormir, de a mão suar, de dar aquele frio na barriga. Confesso que tinha perdido um pouco nos últimos onde estava por algumas circunstâncias. Graças a Deus, isso já passou, e o Vasco me abriu essa possibilidade. Me renovou totalmente, pareço que sou um menino começando a carreira, e é um sentimento que não tem preço."

Lisca só deixou claro que gostaria de ser avaliado apenas pelo trabalho que faz, e que fosse deixado de lado seu jeito descontraído de lidar com seus comandados. "Eu já sofri muito com essa coisa de doido, de as pessoas não analisarem meu trabalho. Porque se aproveita e começa a criar polêmica onde não tem, distorcem toda uma coisa falada. Já sofri demais com isso, aconteceu de novo há uns 45 dias e me deixou muito chateado", explicou, sem dar detalhes.

Novos desafios na semana

Se o primeiro jogo tinha a dificuldade da falta de tempo para trabalhar taticamente e tecnicamente, Lisca terá pela frente outras situações complicadas para esta semana. Na quarta-feira (28), o Vasco recomeça sua trajetória na Copa do Brasil, enfrentando o São Paulo, no Morumbi, pela partida de ida das oitavas de final.

Três dias depois, o Vasco faz clássico carioca contra o Botafogo, no Engenhão, pela 15ª rodada da Série B. A goleada sobre o Guarani permitiu que o Cruzmaltino se aproximasse do G-4, ficando a apenas um ponto do Goiás, que é o quarto colocado. Na competição, o time carioca não perde há seis partidas -três vitórias e três empates.

Futebol