PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Com polêmica e gol no finzinho, Brasil vence a Colômbia e avança em 1º

Siga o UOL Esporte no

Danilo Lavieri e Gabriel Carneiro

Do UOL, no Rio de Janeiro

23/06/2021 23h03

Classificação e Jogos

A seleção brasileira venceu a Colômbia por 2 a 1 com um gol marcado por Casemiro aos 54 minutos do segundo tempo e se classificou como primeira colocada do Grupo B da Copa América com uma rodada de antecedência. O jogo foi no estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro.

Os colombianos abriram o placar logo no começo, com Luis Díaz, e tomaram o empate aos 32 minutos do segundo tempo. No lance do gol de Roberto Firmino a bola bateu no árbitro Nestor Pitana durante a jogada, que não foi paralisada. Isso gerou forte reclamação dos colombianos. Após consulta ao VAR e quase dez minutos de paralisação, o gol acabou validado. Casemiro marcou nos acréscimos para sacramentar a virada e o primeiro lugar da chave com nove pontos, enquanto a Colômbia fica em segundo com apenas quatro.

A seleção brasileira vai a Goiânia para a última rodada da fase de grupos no domingo, às 18h, contra o Equador. Já a Colômbia fica de folga, porque o grupo é formado por cinco seleções, e espera o complemento da rodada para saber o que vem pela frente.

Bola 'cuadrada'

Colômbia - Thiago Ribeiro/AGIF - Thiago Ribeiro/AGIF
Jogadores da seleção colombiana comemoram gol contra o Brasil na Copa América
Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Numa noite em que o desempenho da seleção brasileira deixou a desejar na maior parte do tempo, um dos melhores em campo foi o meia-atacante Cuadrado, da Colômbia. Ele deu assistência para o gol de Luis Díaz num lance de criatividade, errou poucos passes e deu trabalho para a defesa da casa com seus lançamentos longos nas costas da marcação em contra-ataques. Do lado brasileiro, pouco criativo ofensivamente, destacaram-se Thiago Silva e Casemiro com boa proteção à defesa e algumas tentativas de passes mais verticais. O volante, aliás, acabou sendo premiado como autor do segundo gol.

Richarlison não funciona

Acostumado a resolver problemas da seleção em jogos truncados e sempre contribuir com gols e assistências, Richarlison foi bem aquém do seu desempenho normal hoje. Ora por dentro, ora por fora, só conseguiu dar um chute no gol, empilhou quase 30% de passes errados e atrapalhou a dinâmica ofensiva do time — que já não funcionou da melhor maneira nem com Neymar. Foi substituído no segundo tempo e os dois gols da equipe saíram depois disso.

Melhor com Firmino

Casemiro - Thiago Ribeiro/AGIF - Thiago Ribeiro/AGIF
Casemiro ganha a jogada de Rafael Borré no primeiro tempo de Brasil x Colômbia
Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Algo que não tem sido comum nos últimos tempos aconteceu logo no começo do jogo: o Brasil saiu atrás do placar. Para além do golaço de Luis Díaz houve no lance uma boa jogada de Cuadrado, que recebeu bem aberto pela direita, desconcertou a marcação com uma finta e fez o cruzamento na área sem sofrer pressão de Alex Sandro. O jogo que se desenhou depois do gol foi de pressão da seleção da casa para tentar o empate, mas desorganização para alcançar esse objetivo.

O Brasil tentou acuar os colombianos, teve momentos em que colocou oito deles para proteger a área, mas teve dificuldade nas disputas física e tática, porque perdeu divididas e não conseguiu romper as ajustadas linhas de quatro do adversário. No primeiro tempo criou pouco, mesmo com inversões de posicionamento nos quatro homens do ataque. Para a etapa complementar Tite tentou Roberto Firmino na vaga de Everton Ribeiro. O ataque ficou mais solto. De cara, Neymar teve duas chances em lançamento de Thiago Silva e lance individual.

Aos 20 foi criada a melhor chance do Brasil até ali, quando Firmino deu passe de calcanhar para Neymar, que driblou Ospina e concluiu na trave. Jesus parecia mais inteiro para chutar, mas permitiu a finalização do camisa 10. Não era uma noite brilhante, mas ainda havia vida e Tite acionou Lucas Paquetá, Éverton Cebolinha e Gabigol. Foi de Firmino, com cruzamento do também acionado Renan Lodi, o gol de empate do Brasil. O segundo saiu numa jogada de bola parada já nos acréscimos, sacramentando a felicidade do treinador nas substituições.

Polêmica no empate

Neymar - Thiago Ribeiro/AGIF - Thiago Ribeiro/AGIF
Neymar lamenta oportunidade desperdiçada pelo Brasil contra a Colômbia
Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

A rede do Brasil balançou logo aos nove minutos do primeiro tempo, com uma bicicleta de Luis Díaz após cruzamento na área feito por Cuadrado. O gol de empate brasileiro foi com polêmica: aos 32 minutos do segundo tempo, numa jogada de Lucas Paquetá, a bola bateu no árbitro Nestor Pitana, mas não mudou de posse. Renan Lodi recebeu e cruzou e Firmino fez de cabeça com frango de Ospina, mas os colombianos reclamaram da interferência do árbitro, que consultou o vídeo e só autorizou a retomada do jogo após quase dez minutos de checagem e gritaria.

O segundo gol saiu aos 54 minutos do segundo tempo, marcado por Casemiro após escanteio perfeito cobrado por Neymar. Foi a única vez em que a perigosa bola parada brasileira funcionou na partida. Na hora certa, com emoção.

E o gramado? Ruim de novo

Alvo de críticas de todas as seleções que jogaram nele na Copa América, o gramado do Nilton Santos novamente atrapalhou as equipes — especialmente o Brasil, que saiu em desvantagem e dominou a posse de bola. A organização colocou faixas e estacas nas áreas para evitar que fossem pisadas no aquecimento e houve cuidados intensivos no intervalo. Mesmo assim, foi comum ver chutes tirando tufos de grama do campo.

FICHA TÉCNICA
BRASIL 2 X 1 COLÔMBIA

Data:
23 de junho de 2021, quarta-feira
Horário: 21h (de Brasília)
Local: Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Nestor Pitana (ARG)
Assistentes: Ezequiel Brailovsky (ARG) e José Antelo (ARG)
VAR: Mauro Vigliano (ARG)
Cartões amarelos: Alex Sandro, Everton Ribeiro, Neymar (Brasil), Cuadrado, Ospina, Barrios, Cuéllar (Colômbia)

GOLS: Luis Diaz, aos 9/1ºT (0-1), Roberto Firmino, aos 32/2ºT (1-1), Casemiro, aos 54/2ºT (2-1).

Brasil: Weverton; Danilo, Marquinhos, Thiago Silva e Alex Sandro (Renan Lodi, aos 16/2ºT) Casemiro, Fred (Lucas Paquetá, aos 22/2ºT) e Everton Ribeiro (Roberto Firmino, no intervalo); Gabriel Jesus (Éverton Cebolinha, aos 31/2ºT), Neymar e Richarlison (Gabigol, aos 31/2ºT). Técnico: Tite

Colômbia: Ospina, Daniel Muñoz, Mina, Davinson Sanchez e Tesillo; Barrios, Mateus Uribe, Cuadrado e Luis Diaz (Murillo, aos 45/2ºT); Zapata (Borja, aos 18/2ºT) e Rafael Borré. (Cuéllar, aos 18/2ºT). Técnico: Reinaldo Rueda

Esporte