PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Copa América não ajuda ambulantes perto de estádio: "Como se não tivesse"

Djalma de Lara, comerciante de produtos de futebol no entorno do Mané Garrincha - Marinho Saldanha/UOL
Djalma de Lara, comerciante de produtos de futebol no entorno do Mané Garrincha Imagem: Marinho Saldanha/UOL

Marinho Saldanha

Do UOL, em Brasília (DF)

20/06/2021 15h18

Classificação e Jogos

Se a Copa América pode surtir efeito positivo para o setor hoteleiro e até mesmo de alimentação, o mesmo não vale para a classe mais baixa do comércio. Raros são os ambulantes próximos ao Mané Garrincha, que recebe os jogos em Brasília. E quem passa por ali conta que não há impacto algum da competição.

É o caso de Djalma de Lara, o único comerciante encontrado pela reportagem do UOL Esporte desde que começou a competição. Vendedor de bandeiras e camisas há mais de 20 anos, ele garante que a Copa América não influencia em nada no seu trabalho atualmente.

"Está tendo Copa América, mas é como se não tivesse. Não vendi nada por causa da Copa América", disse ele.

A necessidade de trabalho, porém, não faz o comerciante ser favorável ao torneio. Sem torcedores em razão da pandemia de novo coronavírus, ele crê que a competição não deveria estar acontecendo.

"Eu vivo de aglomerações. Preciso delas para trabalhar. Sem torcida, não tem isso. Eu já vendi até ingresso, mas atualmente é muito complicado. Mas tem muita gente morrendo, não deveria ter a Copa América", disse.

Hoje, Djalma tem em manifestações sua maior fonte de renda. No último domingo, conseguiu lucrar bastante com os protestos contra o Governo. E no próximo espera ainda mais em ações de apoio ao presidente Jair Bolsonaro, previstas para todo país.

"Eu vendo nos dois, dinheiro não tem lado, e é o meu trabalho", sorriu. "É que nem no futebol, se vende camisa dos times rivais", completou.

As bandeiras do Brasil e camisas da seleção, da Argentina, e de times como Flamengo e Palmeiras, estendidas em um varal improvisado entre as árvores da praça em frente ao Mané Garrincha, não estarão ali amanhã (21), data em que Argentina e Paraguai se enfrentam no estádio. Pois, segundo ele, "não vale a pena".

A Copa América está sendo disputada no Brasil após deixar suas sedes originais: Colômbia e Argentina. A competição dura até 10 de julho e seus jogos acontecem em Brasília, Cuiabá, Goiânia e Rio de Janeiro.

Esporte