PUBLICIDADE
Topo

"Isso é passado". Mancini e Jean se reencontram após polêmica no São Paulo

Goleiro Jean, hoje no Atlético-GO, durante passagem pelo São Paulo - saopaulofc.net
Goleiro Jean, hoje no Atlético-GO, durante passagem pelo São Paulo Imagem: saopaulofc.net

José Eduardo Martins e Marcello De Vico

Do UOL, em São Paulo e Santos

26/06/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Vágner Mancini foi anunciado ontem como novo treinador do Atlético-GO
  • No clube, ele reencontrará o goleiro Jean, com quem se desentendeu no SPFC
  • "Isso é passado. O Mancini é experiente", disse o presidente do Atlético-GO

Vágner Mancini foi anunciado ontem (25) como novo técnico do Atlético-GO. No clube, o treinador irá reencontrar o goleiro Jean, jogador com quem se desentendeu durante a passagem pelo São Paulo. Hoje eles estão em paz e, de acordo com a diretoria rubro-negra, o assunto faz parte do passado.

A polêmica aconteceu em março de 2019. O goleiro ficou irritado com o teor de uma reunião entre a comissão técnica e atletas e deixou o treino mais cedo. Em texto publicado no seu Instagram, o arqueiro disse que Mancini, então treinador interino do São Paulo, o tratava de maneira diferente por causa de uma rivalidade — o comandante havia dirigido o Vitória e o jogador defendido o Bahia.

Na época, Mancini negou: "Ele [Jean] disse que eu tive tratamento diferente com ele e preteri a escalação dele por isso. Em determinado momento, quando ele não quis ir jogar contra o Red Bull e depois foi, sentei com ele por quase meia hora e bati um papo. Conheci ele desde os 14 anos. Sou amigo do pai dele [treinador de goleiros do Bahia sub-20], tenho um filho da idade dele e jamais agiria de uma forma que não fosse a de exigir o comprometimento que devemos ter em um clube, onde todos são pressionados. Fiquei quase meia hora dizendo que não era momento de reivindicar titularidade. Tudo tem seu tempo", disse Mancini".

Por conta de sua atitude, Jean foi afastado do elenco, multado, e só acabou reintegrado depois de pedir desculpas ao elenco. O goleiro foi cobrado pelo técnico Cuca e por todo departamento de futebol do São Paulo — incluindo os dirigentes Raí e Passaro — e admitiu ter cometido um erro na forma como tratou Vagner Mancini.

"Posso dizer que sou uma pessoa que aprende muito com os próprios erros. Errei com a entidade São Paulo Futebol Clube, com meus companheiros, com a comissão técnica e torcida tricolor. Peço desculpas a todos pela atitude que tomei, principalmente ao Vagner Mancini, por deixar o campo no treinamento no momento delicado que atravessávamos e externar problemas internos, além de tê-lo julgado e ofendido de forma injusta", disse na ocasião.

Para aparar as arestas, Vágner Mancini chegou até a conversar com o pai de Jean, de quem é amigo e com quem possui boa relação.

Vagner Mancini, coordenador técnico, e Cuca, técnico do São Paulo - Marcello Zambrana/AGIF - Marcello Zambrana/AGIF
Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

"Isso é passado", diz Atlético-GO

Em contato com o UOL Esporte, o presidente do Atlético-GO, Adson Batista, disse apostar na experiência de Vágner Mancini e acredita que a relação entre os dois será positiva: "Isso é passado. O Mancini é experiente e sabe administrar essa questão".

Futebol