PUBLICIDADE
Topo

Contratações da Ponte expõem impasse além da pandemia na volta do futebol

Camilo, Luizão e Ernandes não poderão defender a Ponte no Paulistão - Divulgação
Camilo, Luizão e Ernandes não poderão defender a Ponte no Paulistão Imagem: Divulgação

Do UOL, em Santos (SP)

08/05/2020 16h53

Resumo da notícia

  • Ponte Preta contratou três jogadores, mas eles não poderão atuar no Paulistão
  • Meia Camilo, lateral Ernandes e zagueiro Luizão foram anunciados ontem
  • Contratações expõem impasse que vão além da pandemia na volta do futebol
Classificação e Jogos

A Ponte Preta anunciou ontem (7) a chegada de três reforços para a temporada 2020: o meia Camilo e o lateral Ernandes, que estavam no Mirassol, e o zagueiro Luizão, ex-Santo André. O trio, porém, não poderá defender a Macaca quando - e se - o Campeonato Paulista voltar à ativa.

De acordo com a Federação Paulista de Futebol (FBF), algumas regras do regulamento serão flexibilizadas por conta da pandemia do coronavírus, entre elas a possibilidade de inscrição de novos atletas para a sequência da competição - uma vez que vários clubes menores convivem com debandadas no elenco e já tiveram contratados com jogadores encerrados.

Porém, a entidade deixa claro que não será permitido inscrever atletas que já atuaram no Campeonato Paulista de 2020 por outros times - nem mesmo de outras séries. A saída para esses clubes será, então, recorrer aos demais Estados do Brasil na hora de se reforçar.

Tal cenário exemplifica como a volta do futebol pode ser problemática e passará não apenas pelo controle da pandemia em si e a busca de novas datas no calendário, mas também por questões burocráticas que terão de ser tratadas caso a caso pelos dirigentes e clubes nacionais.

Última colocada de seu grupo no Paulistão antes da paralisação, a Ponte Preta terá os reforços de Camilo e Ernandes para a sequência da Copa do Brasil e para a Série B do Campeonato Brasileiro. Luizão, por outro lado, só poderá ajudar o time campineiro na Segundona, uma vez que já entrou em campo pelo Santo André no torneio de mata-mata.

Um 'novo time' do líder do campeonato

Líder do Campeonato Paulista com 19 pontos nas dez rodadas disputadas antes da paralisação, o Santo André é um exemplo a ser citado de como os clubes do ABC e do interior paulista terão de se reinventar para a sequência da competição. Além de Luizão, outros vários jogadores do elenco já ficaram sem contrato. Diante disso, o Santo André já havia definido que tentará recontratar quem estiver disponível no mercado da bola quando já houver data.

"É outro trabalho que vai começar. E com outra preocupação: quanto tempo terá de preparação para as agremiações que vão recomeçar? Passou de 15, 20 dias, você perdeu tudo o que tinha, inclusive fisicamente", disse o técnico Paulo Roberto Santos em entrevista ao UOL Esporte concedida ainda na metade de abril.

"Vamos supor que eu receba todos os atletas de volta, o que já é improvável. Será na estaca zero. Se você tem contratos até o fim do ano tudo bem, fica em contato com os jogadores e aguarda data, mas para as equipes do nível do Santo André não é assim. É uma situação muito grave, muito séria", completou.

O Mirassol, que teve Camilo e Ernandes anunciados pela Ponte Preta, é outro time que fazia boa campanha no Paulistão. Com 16 pontos em dez jogos, é o segundo colocado do grupo C, que tem o São Paulo, com 18, como líder.