PUBLICIDADE
Topo

Já viu isso? Técnico de time de SP é demitido no intervalo: "Constrangedor"

Alexandre Ferreira dirigiu o Olímpia em pouco mais de um mês; ele tem experiência no futebol do interior paulista - Divulgação/Batatais
Alexandre Ferreira dirigiu o Olímpia em pouco mais de um mês; ele tem experiência no futebol do interior paulista Imagem: Divulgação/Batatais

Gabriel Carneiro

Do UOL, em São Paulo

01/03/2020 19h07

Resumo da notícia

  • Alexandre Ferreira, técnico do Olímpia-SP na Série A3, foi demitido hoje (1)
  • Decisão foi tomada pelo clube no intervalo da partida contra o Primavera
  • Segundo o Olímpia, a razão é a sequência de maus resultados no torneio
  • Já segundo o treinador, ele não aceitou interferências em seu trabalho
Classificação e Jogos

Mais perto da zona de rebaixamento do que da zona de classificação da Série A3 do Campeonato Paulista, o Olímpia anunciou hoje (1) a demissão do técnico Alexandre Ferreira depois de oito partidas em pouco mais de um mês. O mais inusitado em todo este caso é que o comandante foi informado da decisão do clube no vestiário do estádio Tereza Breda durante o intervalo da partida contra o Primavera pela oitava rodada do torneio. Foi assim: ele dirigiu o time no primeiro tempo, mas não no segundo.

A justificativa do Olímpia para a saída do treinador é a "sequência de resultados negativos": duas vitórias, três empates e duas derrotas antes do jogo de hoje, que o time perdia por 2 a 0 no primeiro tempo. Após a demissão no intervalo, a equipe voltou sob o comando do auxiliar Paulinho Fonseca e igualou o placar.

Já de acordo com Alexandre Ferreira, foi uma tentativa de interferência na escalação do diretor de futebol Antônio Delomodarme, mais conhecido como Niquinha, que causou a demissão no intervalo. O dirigente teria orientado duas alterações na equipe, mas o técnico só estava disposto a fazer uma.

"Fui para o intervalo com a ideia de botar o Linik. Também tentei mexer no time através do brio cobrando mais pegada e determinação, porque a meu ver o problema do time para tomar dois gols não era tático, e sim os erros individuais. Aí recebi a informação do auxiliar da casa (Paulinho Fonseca) que o presidente (na verdade o diretor de futebol, Niquinha) tinha solicitado outra mudança além da que eu faria. Eu falei que não era momento, que uma só seria interessante para reverter o jogo", conta, ao UOL Esporte, o técnico de 46 anos, que ainda completa:

"Passei esta informação e ele (Paulinho) passou ao presidente (diretor). Então ele (Niquinha) entrou no vestiário dizendo que era para eu fazer a outra troca, sim, senão eu seria demitido. Eu não achei correto, não concordei. Ele falou que ele que mandava, se dirigiu aos jogadores dizendo o que seria feito e foi dessa forma. Aí eu entendi que estava demitido. Difícil na história ter acontecido situações como essa, não estamos acostumados. Mas ele manda, existe um processo de hierarquia. Eu não aceitei fazer e ele como presidente (diretor) tomou sua decisão."

A gente se sente constrangido e chateado. Somos contratados e temos autonomia para poder estar trabalhando. Esse é o correto, é o ideal. Agora é esfriar a cabeça.

Niquinha não atendeu ao contato da reportagem. No site do Olímpia, a nota sobre a demissão de Alexandre Ferreira fala apenas sobre maus resultados. A crônica do empate em 2 a 2 com o Primavera tem trechos como "O Olímpia mal teve tempo de se posicionar em campo..." e "o time visitante seguiu melhor durante todo o primeiro tempo", quando Alexandre ainda era o técnico. Já sobre a etapa complementar, sob o comando de Paulinho Fonseca, a nota assinada por "Assessoria O.F.C/Futebol Interior" cita "outra postura" e "resposta rápida" após duas entradas, de Linik e Diego.

Olímpia - Matheus Lima/Cidade Clube/Divulgação - Matheus Lima/Cidade Clube/Divulgação
Imagem: Matheus Lima/Cidade Clube/Divulgação

O Olímpia teve dois técnicos durante a pré-temporada (Paulo Mulle, que pediu demissão por motivos particulares, e Mário Tilico, desligado após brigar com um jogador durante um treino) e mais um na A3 (Alexandre Ferreira). O time está em 12º lugar na tabela de classificação com dez pontos, dois a mais que o Primavera, o primeiro na zona de rebaixamento, e um a menos que o Comercial, que abre o G8 a sete jogos do fim.

O próximo compromisso será na quarta-feira (4), fora de casa, contra o Batatais.

Futebol