PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras

Em adaptação na zaga, Felipe Melo tem dificuldades contra New York City

Luxemburgo orienta Felipe Melo à beira do campo durante duelo Palmeiras x New York City, pela Florida Cup - Igor Castro/Florida Cup
Luxemburgo orienta Felipe Melo à beira do campo durante duelo Palmeiras x New York City, pela Florida Cup Imagem: Igor Castro/Florida Cup

Pedro Lopes

Do UOL, em São Paulo

18/01/2020 19h42

Classificação e Jogos

Um dos principais objetivos de Vanderlei Luxemburgo no Palmeiras de 2020 é transformar Felipe Melo em um grande zagueiro. Nessa missão, o treinador escalou o experiente jogador como titular e capitão nos dois confrontos do alviverde na Florida Cup. Hoje, diante de um time do New York City repleto de jovens, Felipe encontrou muitas dificuldades - estava marcando De Rosario no lance do gol dos americanos, recebeu cartão amarelo por reclamação e poderia ter sido expulso por entrada dura em um garoto de 18 anos.

"Eu acho que ele é um excelente jogador de futebol, mas muito alto e pesado. Ele, hoje, coma idade que tem, ele joga de volante. Só que a velocidade e a intensidade dos jogos são diferentes. Ele até consegue, mas em um determinado momento ele perde isso", disse Luxemburgo, ao explicar que passaria a utilizar Melo como zagueiro. "Com a inteligência, qualidade e força física que ele tem, não tenho dúvida que ele vai se tornar um grande zagueiro".

O confronto de hoje indica que ainda há uma adaptação pela frente. Diante de um ataque jovem e muito veloz, Felipe Melo teve dificuldades. Na primeira etapa, foi antecipado por De Rosario, que tomou a frente e, de cabeça, abriu o placar para os americanos. Na segunda, foi driblado em um lance que quase resultou no segundo gol - a bola passou raspando a trave direita do gol palmeirense.

Ao escalar Felipe mais recuado, Luxemburgo também aposta em menos faltas e entradas duras. "Em um bote ele vai bem, no segundo ele vai bem, no terceiro ele toma o amarelo e no quarto vai tomar o vermelho", afirmou o comandante. "Quando você coloca mais cinco, dez metros para trás, ele vai deixar de correr 60% do jogo. Ele vai correr 40%, com a inteligência".

Era um confronto de pré-temporada, mas Melo poderia ter sido expulso do campo hoje, em Orlando. Já com cartão amarelo, chegou atrasado e deu entrada dura em Jasson, de apenas 18 anos - o meia, que atua pelas seleções de base dos EUA, infernizou a defesa palmeirense com dribles e jogadas em velocidade. A expulsão só não aconteceu porque o árbitro preferiu advertir verbalmente o defensor.

Além da preocupação com cartões por faltas, Luxa também se incomoda com as reclamações dentro de campo. Foi com o objetivo de reduzi-las e transformar Felipe Melo em um líder dentro de campo que ele deu ao jogador a braçadeira de capitão.

"Quero que o Felipe...espera que vocês [imprensa] são perigosos, e a gente tem que encontrar a palavra certa... O ímpeto dele de discutir coisas que não precisam ser discutidas. Capitão tem que ser exemplo para ele e para a garotada que está chegando agora aqui. Vai deixar de fazer algumas coisas que são desnecessárias e trazem desconforto para ele e equipe".

Diante do New York City, o lado competitivo de Melo falou mais alto. O agora zagueiro foi advertido com um cartão amarelo por reclamações com a arbitragem após uma descida perigosa do New York no segundo tempo.

Os torcedores foram às redes sociais e reagiram à atuação de Felipe Melo. Alguns criticaram ou ironizaram a atuação, enquanto outros defenderam paciência na adaptação do jogador à nova função. O UOL Esporte separou algumas reações:

Depois de encerrar sua participação na Florida Cup com uma vitória nos pênaltis sobre o Atlético Nacional (0 a 0 no tempo normal) e vitória por 2 a 1 sobre o New York City, o Palmeiras retorna ao Brasil e estreia no Paulistão na quarta-feira, diante do Ituano.

Palmeiras