PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

Daniel Alves detona política interna e constantes trocas de técnico no SPFC

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

29/11/2019 00h09

A política interna no São Paulo está efervescente. Como publicou o UOL Esporte, as críticas internas sobre o executivo de futebol, Raí, aumentaram e o presidente do clube, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, cogita não renovar o vínculo com o dirigente no fim deste Brasileirão. Durante a temporada, o time foi comandado também por quatro técnicos. Tais fatos foram bastante criticados por Daniel Alves, após a vitória por 1 a 0 sobre o Vasco, no Morumbi.

"A gente não cogita esse tipo coisa [saída de Rai] pelo simples fato que a gente quer estabilidade dentro do clube. Um clube grande como o São Paulo não pode estar esse tempo todo sem ganhar títulos, tem de aspirar coisas positivas, voltar a ser do tamanho da grandeza do São Paulo. Mas isso só vai acontecer se a gente tiver estabilidade, oportunidade de escrever uma história. Não é fácil para mim, nem para ninguém", disse o jogador ao defender Raí.

"Eu, em todos os lugares em que passei, conquistei coisas porque a minha energia estava focada naquilo que eu quero, que é defender as coisas do time em que jogo. E sobretudo aqui, que é a equipe que eu gosto, o clube dos meus sonhos. Estava falando até com alguns companheiros. Em um ano, eles tiveram quatro treinadores, é impossível. Impossível se você não criar uma filosofia, não criar uma identidade. Se você não apostar nessa filosofia, vai oscilar muito, porque varia o treinador. Ele treina só quatro meses. Eu nunca vi ninguém fazer nada em quatro meses", afirmou o camisa 10.

Ainda de olho na política interna do São Paulo, Daniel Alves criticou o fato de o Conselho Deliberativo estar fragmentados grupos políticos. No próximo ano, o clube vai passar pelo processo eleitoral.

"Um clube com vários partidos é um problema, porque não gera estabilidade para o clube. Nem todo mundo no São Paulo quer a mesma coisa. Nós queremos uma coisa, mas o entorno do São Paulo é muito pessimista", disse o jogador, que tenta ajudar a blindar o CT da Barra Funda das interferências políticas.

"Tudo o que vai gerar coisas negativas no clube não é bem-vindo. Temos de nos fortalecer. As pessoas que sentem realmente o São Paulo sabem o que os jogadores e diretores querem. Com isso, acredito que temos o suficiente. Mas no São Paulo temos de superar até esse tipo de coisa, o que é ridículo em certos momentos como clube. Nós que estamos à frente temos de saber realmente o que queremos, os demais são papagaios repetindo coisas tentando gerar instabilidade no clube."

São Paulo