Topo

Santos: Saída de Autuori aumenta problemas e pode definir adeus de Sampaoli

Jorge Sampaoli observa o clássico entre Santos e São Paulo na Vila Belmiro - Bruno Ulivieri/AGIF
Jorge Sampaoli observa o clássico entre Santos e São Paulo na Vila Belmiro Imagem: Bruno Ulivieri/AGIF

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

20/11/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Paulo Autuori declarou ontem que não permanecerá no Santos em 2020
  • Superintendente era a ponte entre o técnico Jorge Sampaoli e o presidente José Carlos Peres
  • Logo que chegou, Autuori chegou a fazer uma reunião para "selar a paz" entre os dois
  • Argentino não descarta permanecer, mas bastidores desorganizados do clube atrapalham ainda mais

A notícia da saída do superintendente de futebol Paulo Autuori não caiu bem no Santos e pode ter um "efeito dominó" no comando técnico do clube. O argentino Jorge Sampaoli se apoiava no profissionalismo do cartola por um bom planejamento e, sem ele, perdeu uma referência no que imaginava no Peixe de 2020 para seguir no time.

O que mais preocupa Sampaoli não é exatamente a saída da figura Paulo Autuori, mas as circunstâncias que levaram a tal. O argentino vê os bastidores do Santos de forma desorganizada e, sem o superintendente que vinha - de certa forma - colocando ordem na casa, não acredita em uma melhora a curto prazo.

O técnico gostaria de ficar no Peixe para ser campeão, sentimento que é compartilhado pelo presidente José Carlos Peres, mas não vê condições de atingir o objetivo com o cenário que vem se desenhando para a próxima temporada: baixo investimento e venda de jogadores para equilibrar o caixa.

Autuori ainda seguirá no Santos até o final do ano para comandar o planejamento de 2020, mas o treinador santista afirmou, em entrevista coletiva, que se comunica apenas com o superintendente e que não fala com o presidente Peres "há cinco meses". Foi inclusive o dirigente quem fez uma reunião entre os dois para "selar a paz", há cerca de três meses.

A ausência de Autuori nessa intermediação é algo que preocupa para uma possível permanência para a próxima temporada. Sampaoli não descarta ficar no Peixe, mas a continuidade parece ainda mais difícil agora. Uma decisão deve ser tomada nos próximos dias. O treinador argentino tem contrato com o clube até o final do próximo ano e multa rescisória de cerca de R$ 10 milhões.

"Nós profissionais planejamos essa semana e, depois do [jogo contra o] Cruzeiro [domingo, na Vila Belmiro], era a semana ideal para aclarar isso, com uma visão clara do que pode acontecer no Santos, sem colocar em risco [a campanha]. Eu não dou tiro no pé, Sampaoli também não. Estar na Libertadores vai gerar grana, assim como a diferença entre segundo e terceiro lugares, significativa quando se precisa de dindim. É o prazo que nós nos demos", afirmou Autuori em entrevista coletiva ontem (19).

Santos