Topo

Esporte


Marquinhos supera mudança para o meio-campo e negocia renovação com o PSG

Marquinhos durante entrevista coletiva pela seleção brasileira - Pedro Martins/MoWA Press
Marquinhos durante entrevista coletiva pela seleção brasileira Imagem: Pedro Martins/MoWA Press

João Henrique Marques

Colaboração para o UOL, em Paris

09/10/2019 04h00

Há um ano, o zagueiro brasileiro Marquinhos ficava cabisbaixo ao mudar de posição, passar a ser escalado como volante no Paris Saint-Germain e se ver sem perspectiva de sucesso. O trauma, originado com a opção do treinador alemão Thomas Tuchel, o fez pensar em deixar o clube. Porém, o jogador encontrou sucesso na nova função e, valorizado pela polivalência, negocia sua renovação contratual e até faz planos para se aposentar vestindo as cores da equipe.

O vínculo atual de Marquinhos já é largo, com validade até julho de 2022. A negociação é para ampliação até 2024, com aumento salarial. O empresário do jogador, Giuliano Bertolucci, já esteve em Paris duas vezes recentemente para tratar o tema com o diretor de futebol do PSG, Leonardo. Segundo apurou o UOL Esporte, os encontros deixaram o acordo mais próximo.

A valorização de Marquinhos é vista pelo seu estafe como gigantesca de um ano para cá. O brasileiro foi fixado no meio-campo, se tornou o segundo capitão do PSG - atrás apenas de Thiago Silva na hierarquia - e tem vaga assegurada de titular como zagueiro na seleção brasileira comandada por Tite após ter ficado como reserva na Copa do Mundo. Soma-se a isso o fato de o jogador ter sido escolhido pela torcida organizada do clube para uma imensa bandeira de divulgação do terceiro uniforme do time. Nas lojas do clube em Paris, agora são vários os banners espalhados com o rosto do defensor.

Martin Bureau/AFP
Imagem: Martin Bureau/AFP

Na atual temporada, Marquinhos fez sete dos dez jogos do PSG como titular do meio-campo, incluindo as duas partidas da Liga dos Campeões, que terminaram em vitórias por 3 a 0 sobre o Real Madrid e 1 a 0 sobre o Galatasaray. Para se consolidar no setor, o brasileiro passou por uma dura adaptação físicas, se queixando de cãibras musculares ao fim de jogos importantes, e impressionou com a distribuição de passes com os dois pés.

"Só posso dizer coisas boas sobre o Marquinhos. É um homem excepcional, tem uma boa personalidade, é humilde, educado, confiável e muito profissional. Ele é um jogador de elite. Para mim, pode ser um dos melhores jogadores do mundo. Prova isso a cada treinamento, tem um bom espírito. Não tem limites, pode jogar como zagueiro, lateral ou volante, pode jogar em muitas posições. Sempre é muito importante para nós", disse Tuchel, em entrevista coletiva concedida há uma semana.

Tuchel se refere a Marquinhos no vestiário como "Kaiser" palavra que significa imperador em alemão e faz referência ao ex-jogador Franz Beckenbauer, que carregava o apelido muito por conta da desenvoltura demonstrada nos papéis de zagueiro e meio-campista. Para o estafe do brasileiro, a confiança dada pelo treinador foi trunfo para adaptação na nova posição.

Marquinhos faz planos para passar toda a carreira em Paris. Sua esposa Carol Cabrino está grávida do segundo filho do casal. Além disso, o jogador conta com irmãos e primos morando na cidade. Os pais do jogador pais seguem no Brasil, onde cuidam da empresa responsável pela gestão da imagem do defensor.

Siga o UOL Esporte no

Revelado no Corinthians e contratado em 2013 junto à Roma, Marquinhos tem 25 anos e já soma 255 jogos com a camisa do PSG. Ele tem 20 gols e sete assistências na equipe. Pelo clube francês, soma cinco títulos do Campeonato Francês, cinco da Copa da Liga da França e quatro da Copa da França.

Mais Esporte