Topo

Por que Santos diz não se arrepender de venda de Bruno Henrique ao Flamengo

Bruno Henrique comemora gol do Flamengo contra o Internacional - Thiago Ribeiro/AGIF
Bruno Henrique comemora gol do Flamengo contra o Internacional Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

23/08/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Santos entende que o atacante não renderia o mesmo na Vila Belmiro porque queria sair do clube.
  • No Flamengo, ele teve um aumento salarial de mais de 100% em relação ao que ganhava no Santos.
  • Diretoria do Santos não esconde a mágoa com o jogador, por tudo que fez no período de recuperação da lesão no olho.

O brilho do atacante Bruno Henrique, marcando dois gols na vitória do Flamengo sobre o Internacional pelas quartas de final da Copa Libertadores, reacendeu o debate sobre a negociação dos cariocas com o Santos no início do ano. Apesar de todo sucesso do camisa 27 no time rubro-negro, o Peixe diz internamente não se arrepender de ter vendido o atleta.

O Santos entende que o jogador não renderia nem perto do que vem produzindo no Flamengo pelo fato de que ele queria sair do clube. A proposta salarial dos cariocas representava um aumento de mais de 100% em relação ao que o atacante recebia na Vila Belmiro e, impossibilitado de igualar os valores oferecidos, a cúpula santista compreendeu o jogador e fez negócio.

Ainda que tenha entendido o lado do atleta, a diretoria não esconde a mágoa com Bruno Henrique por tudo que fez pelo atacante durante o período de recuperação da lesão no olho que o jogador teve no início do ano passado - e que o tirou dos gramados por mais de três meses.

O Peixe levou Bruno Henrique aos melhores especialistas do mundo para garantir a total recuperação e proporcionar uma volta segura do jogador aos gramados após uma lesão complexa. A primeira opção foi o John Hopkins Institute, em Baltimore (EUA), mas sem visto americano o jogador acabou direcionado ao Centro de Excelência de Frankfurt (ALE).

Depois da temporada 2017, quando foi o principal destaque do time, o atacante recebeu um aumento salarial durante a temporada de 2018, mesmo sem conseguir atuar por conta da lesão. Quando voltou a jogar após estar recuperado, Bruno não rendeu o esperado e marcou apenas dois gols em 32 jogos no ano.

Quando as propostas de Flamengo e Cruzeiro chegaram e o atacante manifestou o interesse de sair, o Santos fez jogo duro na negociação e só liberou o jogador após o clube carioca atingir a pedida inicial do clube, de R$ 23 milhões. O valor foi dividido em três parcelas e o Peixe ainda irá receber a maior delas em janeiro do ano que vem.

A venda de Bruno Henrique ainda possibilitou ao Santos colocar fim na maior novela do ano: a do camisa 9. O colombiano Fernando Uribe veio do Flamengo por cerca de R$ 5 milhões descontados do valor de Bruno Henrique e, ainda que esteja no banco de reservas devido ao bom momento vivido por Eduardo Sasha, o Peixe conseguiu atender ao pedido do técnico Jorge Sampaoli.

Outra contrapartida foi o empréstimo de Jean Lucas, que representou ganho técnico e deixou o técnico argentino satisfeito. Mas, diante, a saída do jogador provocou a fúria de Sampaoli, quando o Santos ficou de mãos atadas e viu o volante ser vendido ao Lyon (FRA).