Topo

Vascaínos criam "vaquinha" para pagar salários do colégio Vasco da Gama

Alunos do Colégio Vasco da Gama estão sem aulas por conta da greve dos professores - Carlos Gregório Júnior / Site oficial do Vasco
Alunos do Colégio Vasco da Gama estão sem aulas por conta da greve dos professores Imagem: Carlos Gregório Júnior / Site oficial do Vasco

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

08/08/2019 12h18

O grupo de vascaínos "Guardiões da Colina" criou uma "vaquinha" online para ajudar os salários atrasados dos professores do Colégio Vasco da Gama, que estão em greve por conta da situação. No site disponibilizado, eles colocaram como meta R$ 70 mil e se prontificam a ajudar em melhorias estruturais caso haja um excesso de arrecadação ou as dívidas sejam quitadas pelo clube. Até o momento, contribuíram também os grupos "Confraria", "Confederação Vascaína", VascoMed", "Vascão Gigante" e "Raízes Vascaínas".

Precavendo-se de uma possível recusa por parte da diretoria caso a mesma interprete que a ação tenha um cunho político, o grupo - que por muitas vezes se posicionou como oposição - também tem como possibilidade fazer as doações através do sindicato dos professores do Rio de Janeiro.

A ideia é fazer um recibo indicando todas as verbas que estão sendo pagas a cada professor deixando expresso que os profissionais estão recebendo tais valores do Vasco.

Ontem (7) os funcionários decidiram manter a greve ao relatarem, em comunicado, terem ouvido do vice-presidente Social cruzmaltino, Marcos Macedo, que ainda não há uma previsão de pagamentos.

Os professores alegam estarem com os salários de junho e julho em atraso, e que a grande maioria também não recebeu o mês de maio (apenas 10% teriam recebido).

Na última segunda-feira (5), o Vasco garantiu ter pago os salários de maio a 227 funcionários que recebem até R$ 1.500.

Vasco