PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

Muricy crê em crescimento de Antony com Dani Alves e cobra recomeço do SPFC

Daniel Alves recebeu o prêmio de melhor jogador da Copa América 2019 - Chris Brunskill/Getty Images
Daniel Alves recebeu o prêmio de melhor jogador da Copa América 2019 Imagem: Chris Brunskill/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

02/08/2019 20h17

Muricy Ramalho acredita que todos os jogadores do São Paulo podem evoluir com a chegada de Daniel Alves, mas o ex-treinador tricolor dá destaque a um caso específico: o do garoto Antony, que pode dividir o lado direito do campo com o lateral.

"Claro que o Antony vai crescer com o Daniel, e não só o Antony. Vários jogadores vão crescer, ele vem com uma mentalidade diferente. O Kaká ajudou muito a gente quando esteve comigo no São Paulo. O Pato cresceu com o Kaká e vários outros. Ele vai saber posicionar o Antony, vai saber a hora que o Antony tem de acelerar, ou quando tem de parar...", avaliou Muricy em participação no podcast do "GloboEsporte".

"O São Paulo está precisando de um cara experiente que segura um pouco a bola, planeja um pouco mais. Poucos times têm líderes no Brasil. Não se tem mais liderança. O São Paulo acertou até nisso: vai ter um líder que vai representar o técnico dentro de campo", completou o técnico tricampeão brasileiro pelo São Paulo.

Os outros participantes aproveitaram para perguntar como Muricy escalaria Daniel Alves; ele pode ser meio-campista ou precisa atuar na lateral? "Na seleção, quando o Tite ataca com lateral esquerdo na linha de fundo, o direito, que no caso é o Daniel, vem para dentro como um volante. É uma posição em que ele pode jogar. Ele também pode jogar aberto, começando como lateral e vindo como volante", disse.

antony - saopaulofc.net - saopaulofc.net
Muricy acredita que Antony aprenderá muito com Dani Alves
Imagem: saopaulofc.net

"Só não vá esperar que ele apareça no fundo do campo, mas para isso tem o Antony. O Antony vai no fundo, e o Daniel vai ser um armador por dentro. O Cuca deve usá-lo nesse sentido. (...) A gente tem de escalar o jogador onde ele se sente bem, tem que respeitar as características. Se a gente perguntar para o Daniel, ele vai querer jogar na lateral. Ele é lateral da seleção, e o projeto dele é jogar até a Copa de 2022", explicou.

"Não se sabe se vai jogar até a Copa ou não, mas é o pensamento dele. Ele vai querer continuar na lateral direita. Ele não é mais um lateral direito de origem, que vai no fundo do campo. Ele é um armador pelo lado direito. O Cuca é um cara inteligente, vai ter de arrumar um esquema para ele. Ele é um jogador que arma time por dentro do campo também. O Cuca vai ter de usar o que tem de melhor", comentou Muricy.

Ele fez muitos elogios ao acordo que o Tricolor conseguiu com Daniel Alves, mas fez cobranças para que o clube trate a necessidade de "recomeço" com seriedade. "Essa contratação é muito importante, mas o São Paulo tem de recomeçar de uma vez mesmo. Tem de recomeçar já pensando no ano que vem também. O São Paulo sempre foi muito bom no planejamento, a gente já sabia quais jogadores perderia no meio do ano. O São Paulo não tem feito mais isso e está pagando o preço", avaliou.

"Quando perde uma competição, a torcida pressiona, eles vão no mercado e compram, compram, compram, compram. Saem contratando jogadores em um desespero... Tem de fazer um planejamento! Os meninos não podem sair nessa janela do ano que vem, tem de segurar mais um pouco. O São Paulo tem de apostar em alguma coisa", alertou.

"Claro que vai vir proposta para Antony, Liziero. Mas vão ter de arrumar patrocinador para segurar esses meninos por pelo menos dois anos. Senão, não vai ganhar título. O que impulsiona um clube não é só venda de jogador, é título. Valoriza a marca. Tem que fazer um projeto para segurar esses meninos. Sempre contratam no desespero, e no desespero você não contrata bem. Tem que pensar nesse ano, mas também no ano que vem", concluiu Muricy.

muricy - Celso Júnior/AE - Celso Júnior/AE
Muricy Ramalho foi tricampeão brasileiro pelo São Paulo em 2006, 2007 e 2008
Imagem: Celso Júnior/AE

Leia outras declarações de Muricy:

Daniel Alves foi a maior contratação da história do São Paulo?

"É difícil falar que é a maior contratação, porque teve várias. No nosso tempo, teve Gerson, teve Pedro Rocha. Jogadores que, na época, diziam que era impossível virem para o São Paulo. O Rocha, quando veio, estava entre os 10 melhores do mundo. O Gerson era campeão do mundo. Tem todo o seu tempo, né? E depois teve o Kaká, que nós trouxemos recentemente, Luis Fabiano... Nesse momento, é claro, o Daniel Alves é um dos melhores da posição no mundo. Recentemente, ele é disparado a melhor contratação do São Paulo."

Idade de Dani Alves exige cuidado?

"A questão da idade é muito importante. Esse ano, o São Paulo está em uma competição só. Ele pode jogar uma vez por semana, esse tipo de coisa. Ele tem de respeitar que está há muitos anos fora do país, e o nosso futebol pode não ser tecnicamente muito bom, mas é intenso e tem muitas competições. A logística é terrível e dura para o jogador de futebol. Pode não ser plasticamente legal de se ver, mas é duro de se jogar. O São Paulo tem de cuidar do jogador. Ele tem 36 anos, cara. Para mim, é o melhor lateral do mundo hoje, mas ele tem 36 anos e isso pesa. O São Paulo tem de fazer um plano para ele, cuidar do jogador. É um patrimônio muito importante para o São Paulo e precisa ter um plano a partir do ano que vem. E ele mesmo tem de se adequar a isso! Ele pode até jogar toda hora, mas também pode se machucar. Isso é importante de se dizer, mas ele vai fazer a diferença.

Todo jogador é teimoso, todos eles. Você explica para o cara, chama o fisiologista, chama o médico, explica para o jogador: 'Olha, você não pode jogar toda hora, você hoje corre 12 km, não vai conseguir jogar toda hora'. E o cara diz que consegue. Então a comissão técnica precisa ter a mão firme, quem manda é a comissão técnica. Mas ele é um jogador experimentado, jogou na Europa e tem toda uma bagagem. Lá ele jogava 50 jogos, no máximo, e aqui vai jogar 80 em todas as competições do ano que vem. Tem de tomar cuidado com isso. Não sei se no ano que vem ele vai continuar jogando na mesma posição, pode ser que não esteja mais na lateral. Tem várias possibilidades, foi uma ótima contratação."

Como lidar com a pressão para conquistar um título ainda em 2019?

"Isso pode ficar até dentro do São Paulo, mas não deve ser exposto. O São Paulo passou por isso no ano passado: atingiu uma primeira colocação que ninguém esperava, a pressão veio e o time não aguentou. É uma pressão que não deve existir. O São Paulo deve ficar na batidinha que está, perto da zona de classificação para a Libertadores, e quem sabe surpreender no final. Santos e São Paulo têm essa vantagem de jogar só uma competição, o que ajuda demais. Não se deve ter esse pensamento para fora, não se deve passar isso para a torcida. A confiança tem de ser grande lá dentro, com certeza, a confiança é fundamental. Mas não se deve ter essa pressão. Até agora, estava sempre brigando pela Libertadores. Continua com esse pensamento! Aí no final pode dar uma arrancada e surpreender."

Anos sem títulos influenciam na empolgação dos são-paulinos?

"Eu acho que sim, o São Paulo precisava de alguma coisa diferente para mexer com o torcedor. Apesar de que o torcedor já vinha apoiando, é incrível, o time não vinha dando respostas e a torcida já estava apoiando. Então imagina agora. O São Paulo precisava de alguma situação como essa, porque infelizmente a estratégia e o planejamento não têm sido bons. Em termos de contratações também. As pessoas dizem que é um jogador caro, mas, na minha opinião, às vezes não é caro. O São Paulo contratou três ou quatro jogadores que não deram resposta e saíram caros para o clube.

Não é só o jogador Dani Alves, é o pacote. O cara é um líder. Faz muito tempo que o São Paulo não tem um líder, o último foi o Rogério Ceni. Um líder que vai ajudar os mais jovens, porque tem muita experiência. E ele tem algo que há muito tempo o São Paulo não tem: ele é um vencedor, e isso contagia, passa para os companheiros, para a comissão técnica, dá confiança. Foi uma contratação excelente. A gente vem fazendo algumas críticas à gestão do São Paulo, e isso tem de ser feito, mas dessa vez eles estão de parabéns porque é uma contratação muito difícil e eles trabalharam muito bem."

Diretoria merece críticas ou elogios?

"Com certeza, o Daniel vai ser um sucesso no São Paulo. O São Paulo tem que voltar a planejar bem, e ultimamente não está planejando. É uma crítica construtiva, mas eu, como vários são-paulinos, não estou satisfeito com o que vem acontecendo. É importante a gente fazer essa crítica, mas a diretoria tem que ser elogiada pelo que fez agora. Foi muito bom."

São Paulo